Dia dos Namorados: um terço pretende gastar mais de R$ 500 em presente

Pesquisa revela que 33,9% das pessoas pretendem gastar mais que em 2021, enquanto 36,7% vão gastar menos

0

O Dia dos Namorados está cada vez mais perto. Muitas pessoas estão se preparando para comprar presentes para os companheiros no país. E a expectativa é que a data mais romântica do ano seja recheada de presentes, pelo menos é o que aponta uma pesquisa realizada pela Provu.

De acordo com a fintech especializada em meios de pagamento e crédito pessoal, 94,3% dos 3 mil entrevistados pretendem dar presentes na data em 2022. Aliás, 33,9% das pessoas se mostraram dispostas a gastar mais de R$ 500 para os parceiros neste ano. A pesquisa também revelou que apenas 5,4% dos entrevistados irão gastar até R$ 50 com presentes.

Seja como for, o Dia dos Namorados deverá impulsionar as vendas no varejo brasileiro. Em resumo, 33,9% das pessoas pretendem gastar mais do que no ano passado. Por outro lado, 36,7% cogitam gastar menos que em 2021, enquanto 22,4% afirmaram que preferem manter o mesmo valor.

Dia dos Namorados deve movimentar R$ 1,65 bilhão

Segundo estimativas da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), a data deverá movimentar R$ 1,65 bilhão. Isso representa um crescimento de 2,5% em relação ao volume de vendas registrado no ano passado.

A saber, a Provu também revelou quais os setores que deverão se beneficiar com a data. Em suma, os entrevistados revelaram quais presentes pretendem comprar para seus parceiros. Veja abaixo quais segmentos eles responderam:

  • Eletrônicos – 24,9%;
  • Roupas – 21,4%;
  • Eletrodomésticos – 9,5%;
  • Experiência a dois – 8%.

“Apesar dos tempos desafiadores que o comércio vem enfrentando e a alta dos preços para os consumidores, a pesquisa demonstra que, aos poucos, com a flexibilização das medidas de seguranças e a retomada das atividades, a economia recomeça a melhorar”, afirmou Marcelo Ramalho, CEO da fintech.

Por fim, a pesquisa também mostrou que 44,3% dos entrevistados pretendem fazer compras físicas, enquanto 55,7% vão comprar pela internet.

Já em relação ao pagamento, a preferência ficou com boleto parcelado, citado por 35,4% dos entrevistados. Em seguida, ficaram cartão de crédito (27,1%), dinheiro (15,2%), Pix (13,9%), cartão de débito (7,8%) e transferência bancária (0,6%).

Leia também: STF proíbe cobrança de Imposto de Renda sobre pensão alimentícia

Avalie o Artigo:

Sucesso na Internet:

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.