Contratações temporárias para o Natal serão as maiores em oito anos

Projeção da CNC se baseia no aumento da circulação de pessoas graças à vacinação; varejo deve gerar 94,2 mil postos de trabalho neste ano

0

A Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) divulgou nesta sexta-feira (24) uma notícia bastante animadora para quem está à procura de emprego. De acordo com projeções da entidade, as contratações temporárias para o Natal em 2021 serão as maiores em oito anos.

Em resumo, a CNC citou o avanço da vacinação no país contra a Covid-19 como principal fator para o otimismo. Isso porque, quanto mais gente vacinada, maior o número de pessoas em circulação. E, para atender à demanda crescente, a oferta de emprego também deverá subir.

A saber, a CNC estima que o varejo do país gere 94,2 mil postos de trabalho neste ano. Estas contratações temporárias são sazonais, ou seja, ocorrem em determinadas épocas do ano. Nesse caso, o aumento das vendas do Natal e o fim de ano que impulsionarão a criação de vagas.

No ano passado, as contratações temporárias para o Natal foram as menores em cinco anos (68,3 mil). Em suma, a principal data comemorativa do comércio brasileiro coincidiu com o início da segunda onda da pandemia da Covid-19. Por isso que houve bem menos postos de trabalho criados em 2020.

Segundo o presidente da CNC, José Roberto Tadros, o cenário deste ano é de esperança para os varejistas. “Os estabelecimentos comerciais estão voltando a receber um fluxo maior de consumidores e, consequentemente, têm registrado avanços sucessivos nas vendas desde abril deste ano”, disse.

Veja mais detalhes das estimativas da CNC

As projeções também foram feitas regionalmente. Nesse caso, São Paulo deve liderar nas contratações temporárias, com 25,55 mil novos postos. Em seguida, devem ficar Minas Gerais (10,67 mil), Rio de Janeiro (7,63 mil) e Paraná (7,19 mil). Estes quatro estados concentrarão 54% das ofertas de vagas no país.

Já em relação aos ramos do varejo, o de vestiário, acessórios e calçados criará o maior número de postos de trabalho. A saber, a CNC estima que haja 57,91 mil contratações temporárias no ramo, ou 61,47% do total. Já os hiper e supermercados criarão 18,99 mil vagas para o Natal.

Por fim, o salário médio de admissão para as vagas temporárias deverá ser de R$ 1.608. Isso representa um aumento 5,1% na comparação com o mesmo período do ano passado. Em relação às proissões, as contratações temporárias de vendedores responderão por 64,4% do total. Por sua vez, o varejo deverá criar 15,2 mil vagas para operadores de caixa. A expectativa é que a absorção dos temporários chegue a 12,2% dos trabalhadores.

Leia Mais: Contas externas do Brasil ficam positivas em US$ 1,684 bilhão em agosto

Veja Também:

Está "bombando" na Internet:

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.