Bolsonaro se posiciona sobre situação da crise hídrica

0

Também durante o discurso da Organização das Nações Unidas (ONU), o presidente Jair Bolsonaro declarou que a crise hídrica enfrentada pelo Brasil é um dos maiores exemplos de desafio climático. Porém, ele disse que o Governo Federal tem lidado com o problema de maneira transparente e com embasamento. 

 

Bolsonaro se posiciona sobre situação da crise hídrica
Bolsonaro se posiciona sobre situação da crise hídrica. (Imagem: Grupo MB)

 

Para ele é uma grande responsabilidade aprofundar a descarbonização nos transportes, ampliar a geração de energia para as necessidades de desenvolvimento e lidar com desafios climáticos, tudo em virtude da escassez da crise hídrica do país. Para Bolsonaro, o Brasil é privilegiado com a situação da matriz energética, e também declarou que o Executivo não está de braços cruzados neste enfrentamento. 

É importante lembrar que no final do mês de agosto, o ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, afirmou que a crise hídrica, a pior nos últimos 91 anos, tem se agravado a cada dia. Na ocasião, ele pediu o esforço da população e das empresas para reduzir o consumo de energia elétrica, que resultou na criação do programa de incentivo à redução de energia elétrica. Voltado a consumidores em potencial como grandes indústrias. 

A previsão é para que o programa de incentivo à redução de energia fique em vigor até o dia 30 de abril de 2022. Até lá, uma parcela quantidade considerável de gastos com energia deve ser economizada. Estima-se que até o dia 30 de setembro, a economia de energia seja de até 500 MW. A previsão foi dada pelo secretário de Energia Elétrica do Ministério de Minas e Energia, Christiano Vieira. 

Ainda durante discurso na ONU, Bolsonaro disse que o Brasil é o portador da matriz energética mais limpa, situação evidenciada por ele através das ações em prol da redução de emissões de carbono. Segundo ele, todas as fontes de energia limpa terão um papel relevante na transição energética global. Bolsonaro também afirmou que cerca de 99% da população brasileira tem acesso à energia, e que o governo pretende lançar o serviço Mais Luz para a Amazônia. 

Na oportunidade, Bolsonaro recomendou que a população tome banho frio para economizar energia e evidenciou tal necessidade ao informar que desligou o aquecimento da piscina do Palácio da Alvorada como exemplo de economia. Com o intuito de ajudar o consumidor brasileiro, o Brasil 123 listou algumas alternativas para economizar energia. Veja a seguir!

1 – Insira cores claras no ambiente

Embora pareça uma dica significante, profissionais da área de construção e decoração reforçam que cores claras podem mudar a visão do ambiente deixando-o com a sensação de iluminação natural. Consequentemente, afeta no pensamento que pode indicar a necessidade de recorrer a luzes artificiais. 

Uma dica que pode auxiliar a inserção de cores claras no ambiente é optar por espelhos e vidros na decoração, pois são itens que promovem a amplitude do ambiente.

2 – Priorize a iluminação natural

É óbvio que o ato de deixar luzes acesas em um ambiente que não esteja habitado no momento é desperdício, tanto de dinheiro, quanto de eletricidade. No entanto, além de apenas adotar o hábito de apagar as luzes durante o dia, pode ser importante recorrer a itens auxiliares.

É o caso de cortinas translúcidas que, ao mesmo tempo que mantêm a privacidade da casa, permitem a entrada de luz natural. O mesmo vale para vidros, espelhos, claraboias no teto e demais recursos que permitam a entrada dos raios solares na casa. 

3 – Opte por lâmpadas de LED ou fluorescentes

Junto à adesão das dicas anteriores referentes à entrada de luz natural e cores do ambiente, outro fator importante se refere aos pontos de energia presentes na casa. O recomendado é trocar as lâmpadas incandescentes e trocá-las por LED ou fluorescentes.

Embora estas alternativas possam ser mais caras, elas têm um tempo de duração três vezes maior, além de consumir bem menos energia. Em outras palavras, geram um custo-benefício positivo ao consumidor. 

4 – Troque eletrodomésticos antigos

No ano de 2016 uma campanha foi feita pelo site Proteste, recomendando a troca de eletrodomésticos antigos por modelos mais novos, especialmente no que se trata de ar-condicionado e refrigeradores. Além de conterem um design moderno, são mais econômicos.

De acordo com o levantamento apurado pelo portal, a economia mensal poderia atingir a margem de 67%, possibilitando a compensação do investimento feito na troca em apenas alguns meses. Além de tudo, implicaria no fator principal que é a economia de energia a longo prazo. 

5 – Retire os aparelhos eletrônicos da tomada

Mesmo que não haja o uso constante, o hábito de deixar os aparelhos eletrônicos ligados na tomada pode resultar em um gasto significativo no fim do mês. É o caso da televisão e microondas. 

Isso porque, o simples fato de haver uma luzinha acesa no aparelho já é um indício de gasto de energia. 

6 – Economize energia durante o banho 

Logo após o ar-condicionado, o chuveiro elétrico é o item que mais consome energia em uma casa. Por isso, existem algumas alternativas para economizar energia durante o banho. 

Ao contrário do que se pensa, essa economia vai além de apenas reduzir o tempo no banho. Ela também pode ser aplicada ao manter a chave do chuveiro posicionada no modo “verão”, gerando uma economia de até 30% na energia.

7 – Reduza a troca de calor na geladeira 

O ato constante de abrir e fechar a geladeira sem necessidade, embora pareça insignificante, gera um aumento expressivo na conta de luz. Isso acontece porque a geladeira é um dos eletrodomésticos que mais consome energia em uma casa. 

Não apenas evitar o “abre e fecha” do aparelho, mas também, verificar se a entrada de calor está devidamente vedada é extremamente importante. Isso pode ser feito através da troca e manutenção das borrachas de vedação, responsáveis por isolar o interior da geladeira. 

8 – Diminua o uso do ferro de passar roupas 

Seguindo a mesma linha que indica os itens que mais consomem energia em uma casa, está o ferro de passar roupas. Para economizar energia neste quesito e ainda assim não sair prejudicado quanto à vestimenta, basta adotar algumas atitudes significativas. 

Uma delas é o hábito de pendurar as roupas bem esticadas no varal para evitar que fiquem muito amarrotadas, além de pendurar roupas mais finas no banheiro para que o vapor extraído durante o banho ajude a desamassá-las. 

Vale ressaltar que tecidos como viscose e poliéster não precisam ser passados. Por fim, recomenda-se separar todas as peças de roupas a serem passadas antes de ligar o ferro. 

9 – Confira a fuga de energia da casa 

É comum haver relatos de consumidores alegando que a conta de luz veio muito alta em um mês específico, sem haver nenhuma explicação plausível para o aumento. Para isso, pode ser importante conferir se não existe algum problema de escape na rede de energia da residência. 

Essa verificação pode ser feita pelo simples ato de desplugar todos os aparelhos eletrônicos da tomada. Se ainda assim o medidor de consumo junto ao registro continuar girando, será necessário procurar um eletricista para identificar e resolver o problema. 

10 – Invista no sistema de aquecimento solar

Muito além de uma simples tendência, o aquecimento solar gera uma economia significativa na conta de luz, além de ser uma opção sustentável e favorável ao meio ambiente. Isso porque, a transformação da luz solar em energia elétrica acontece em um formato 100% limpo, em outras palavras, sem a emissão de agentes poluentes.

Veja Também:

Está "bombando" na Internet:

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.