Bolsas da Ásia encerram pregão em alta, puxadas por otimismo elevado

Notícias positivas sobre novas vacinas e petróleo impulsionam índices

0

As bolsas da Ásia iniciaram a semana garantindo altas firmes, situação inversa à registrada na semana anterior. Em resumo, esta segunda-feira (1º) ficou marcada por elevação do otimismo dos investidores. E isso aconteceu por causa de notícias envolvendo os estímulos vindos dos Estados Unidos, novidades sobre vacinas contra a pandemia da Covid-19 e bons resultados do petróleo.

Em primeiro lugar, a Câmara dos Representantes dos EUA aprovou na madrugada do último sábado (27) o pacote fiscal de US$ 1,9 trilhão para a economia norte-americana. O programa contará com cheques diretos à população afetada pela pandemia da Covid-19 nos EUA. E o objetivo do estímulo fiscal é fortalecer o enfrentamento contra a pandemia, bem como dar subsídios à população para superar as dificuldades deste momento.

A propósito, o aumento no ritmo das campanhas de vacinação em diversos países elevam os ânimos dos investidores. Dessa forma, com um ritmo mais forte de aplicação das doses de imunização, os investidores acabaram tendo mais coragem para buscar ativos de risco nesta segunda. E as bolsas asiáticas fecharam o dia no azul.

Também vale ressaltar que os preços do petróleo subiram na semana passada, puxados por incertezas relacionadas à produção e ao refino dos EUA. Assim, com elevação dos valores da commodity, os mercados acionários da Ásia receberam ainda mais impulso no dia. A saber, os preços dos barris de petróleo superaram os US$ 61 na última semana, valor maior que o registrado antes da pandemia da Covid-19.

 

Bolsas asiáticas terminam em alta nesta segunda

Diante disso, as bolsas asiáticas conseguiram encerrar o dia no azul. Em resumo, o índice Nikkei, em Tóquio, registrou a maior alta do dia (2,41%), seguido pelo índice Hang Seng, de Hong Kong (1,63%). Por fim, os índices chineses também subiram no dia, com o Shenzhen Composto disparando 2,42% e o Xangai Composto avançando 1,21%.

 

LEIA MAIS

Confiança empresarial cai pelo quinto mês seguido, aponta FGV

Gás de cozinha fica 5% mais caro a partir de hoje (2), informa Petrobras

Veja Também:

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.