Bolsas chinesas caem nesta quarta (3), puxadas por ações de tecnologia

Índices asiáticos seguem movimento inverso e encerram dia no azul

1

As bolsas chinesas encerraram esta quarta-feira (2) no vermelho. Nos dois últimos pregões, os índices acionários do país conseguiram emendar duas altas seguidas, após uma semana de perdas por causa das condições de liquidez apertadas. No entanto, o principal fator que puxou o resultado pra baixo foi o desempenho negativo de ações de tecnologia. Por outro lado, os principais mercados da Ásia fecharam a quarta-feira com ganhos.

Em resumo, na China, a semana passada ficou marcada com a postura de aperto de autoridades do país para conter ganhos nos preços de ações. A saber, os investidores estiveram bastante receosos sobre o futuro, pois a postura monetária mais rígida das autoridades chinesas ligava o sinal de alerta, tanto para a liquidez atual quanto para os juros de curto prazo do país asiático, que continuavam subindo. Contudo, ontem (2), as taxas monetárias de curto prazo da China recuaram para os menores níveis de duas semanas.

Ao mesmo tempo, o Banco do Povo da China injetou 78 bilhões de iuanes, que equivale a US$ 12,08 bilhões, nos mercados monetário. Assim, o medo com a persistência das condições apertadas de liquidez foi deixada um pouco de lado no pregão de ontem.

Somado a isso, a Chongqing Changan Automobile Co Ltd reportou um gigantesco crescimento de 87,2% em suas vendas de veículos em janeiro deste ano na comparação com o mesmo mês de 2020. Dessa forma, a realização de lucros em ações de tecnologia com altas valorizações ficou maior que os ganhos das montadoras, que devem ter um forte crescimento esse ano. A saber, a associação da indústria da China estima um aumento de 4% nas vendas totais de veículos para 2021. Isso equivale a 26,3 milhões de unidades comercializadas.

 

Bolsas asiáticas encerram no azul

Em meio a estas notícias, as bolsas chinesas acabaram encerrando o dia no vermelho. Na China, o índice CSI300, que reúne as maiores companhias listadas em Xangai e Shenzhen, recuou 0,29%. Da mesma forma, índice de Xangai também registrou queda nesta quarta, de 0,46%. Já o subíndice do setor automotivo disparou 5,4%, enquanto os índices do setor de consumo básico saltou 1,1% e do setor de saúde avançou 0,9%.

Seguindo a trajetória inversa dos índices chineses, os principais índices asiáticos fecharam em alta. No dia, as maiores subidas percentuais vieram dos índices KOSPI, em Seul (1,06%), Nikkei, em Tóquio (1,00%), e S&P/ASX 200, em Sydney (0,92%). Também registraram ganhos no dia os índices Straits Times, em Cingapura (0,35%), e Hang Seng, de Hong Kong (0,20%). Por fim, a subida mais tímida veio do índice TAIEX, em Taiwan (0,07%).

 

LEIA MAIS

Consumo de combustíveis no Brasil atinge menor nível dos últimos oito anos

Ford anuncia investimento de US$ 1,05 bilhão em sua produção na África do Sul

Veja Também:

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.