Aumento de tiques motores e fônicos em jovens pode estar associado a uso de redes sociais

A exposição de influenciadores nas redes sociais com tiques ou Síndrome de Tourette acaba incentivando os sintomas, segundo pesquisadores.

0
Unsplash

Se por um lado as redes sociais vêm garantindo uma oportunidade de renda financeira, comunicação e entretenimento, por outro, alguns distúrbios emocionais também acabam sendo associados a essa exposição intensa.

Além de ansiedade, baixa autoestima e depressão, outro quadro emocional vem sendo relacionado a esse recurso digital, desta vez os tiques motores e fônicos, também conhecidos como Síndrome de Tourette.

Esta relação está sendo apresentada via vários estudos, como é o caso de um estudo realizado entre os países Canadá, Estados Unidos, Reino Unido, Alemanha e Austrália, que revela o aumento desses sintomas em crianças e adolescentes, usuários típicos de redes sociais, como por exemplo, o TiTok.

De acordo com os pesquisadores nessa pandemia paralela, os jovens de 12 a 25 anos além de experimentarem o estresse causado pela pandemia, também citaram a exposição a influenciadores nas redes sociais (principalmente TikTok) com tiques ou Síndrome de Tourette. Para eles, essa exposição poderia incentivar o início dos sintomas.

Tiques de Tourette X Tiques do TikTok

Unsplash

Um outro estudo acabou revelando que os tiques dos usuários de redes sociais, como o TikTok não são os mesmo de quem sofre com a Síndrome de Tourette.

Isso porque os tiques do TikTok são considerados um exemplo de doença sociogênica, que envolve comportamentos, emoções ou condições que se espalham espontaneamente por um grupo.

Já no caso dos tiques da Síndrome de Tourette, as causas ainda são desconhecidas pela ciência, embora estejam relacionadas à hereditariedade e a outros transtornos como o déficit de atenção e hiperatividade (TDAH), transtornos de aprendizagem e transtorno obsessivo-compulsivo (TOC).

Leia também: Exposição nas redes sociais reforça a adultização infantil

Mais sobre a Síndrome de Tourette

A Síndrome de Tourette é uma condição neuropsiquiátrica hereditária, que geralmente se manifesta entre a infância e adolescência.

Os sintomas são caracterizados por diversos movimentos físicos e pelo menos um vocal. Os mais comuns são:

  • Fazer caretas
  • Balançar a cabeça
  • Gritar
  • Limpar a garganta
  • Levantar as sobrancelhas
  • Encolher os ombros
  • Piscar
  • Pular

Muitos portadores da Síndrome de Tourette relatam que os tiques são precedidos por impulsos premonitórios, inclusive têm remissões e recidivas características, que podem ser suprimidas temporariamente.

A síndrome de Tourette, presente em 0,6% da população mundial tem tratamento, que geralmente é realizado de maneira associada através da medicação e Terapia Cognitiva Comportamental

  • Medicação: Os medicamentos mais usados são os antipsicóticos, já que atuam diretamente na redução da ansiedade, condição esta que afeta ainda mais as crises de tiques.
  • Terapia Cognitiva Comportamental: Tem como foco a modificação de comportamentos, respostas emocionais e pensamentos negativos associados a um distúrbio psicológico.

Algumas técnicas de relaxamento também ajudam a lidar com a condição, entre elas, respiração profunda, meditação, ioga e exercícios aeróbicos.

Veja também: Irritação e até queimaduras estão entre os riscos dos tutoriais de beleza de redes sociais

Veja Também:

Está "bombando" na Internet:

Acesse www.pensarcursos.com.br
Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.