Inflação para as famílias de renda mais baixa sobe 1,04% em abril

Variação foi a mais expressiva para o mês desde 2003; INPC é usado como referência para reajustes salariais e benefícios

0

O Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) variou 1,04% em abril deste ano, ficando abaixo da taxa registrada em março (1,71%). Apesar do recuo, esta é a maior variação para o mês de abril desde 2003, quando o índice subiu 1,38%.

No acumulado dos últimos 12 meses, a taxa saltou de 11,73% para 12,47%. Além disso, a variação em abril deste ano ficou quase três vezes superior à taxa registrada no mesmo mês de 2021 (0,38%). O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), responsável pelo levantamento, divulgou as informações nesta quarta-feira (11).

Em resumo, o IBGE calcula o indicador desde 1979. O índice se refere às famílias que possuem rendimento mensal de um a cinco salários mínimos. Nesse caso, o chefe da família é assalariado.

Além disso, o INPC é usado como referência para reajustes salariais e benefícios do INSS.

Inflação sobe em todos os locais pesquisados em abril

De acordo com o IBGE, a taxa subiu em todos os 16 locais pesquisados em abril. A saber, o Rio de Janeiro teve a maior inflação no mês passado, apesar de a taxa desacelerar de 1,77% para 1,45%.

Outros oito locais também tiveram taxas superiores à média nacional: Campo Grande (1,85% para 1,37%), Aracaju (1,49% para 1,33%), Brasília (1,46% para 1,25%), Recife (1,64% para 1,14%), Rio Branco (1,55% para 1,11%), São Luís (2,05% para 1,11%), Belém (1,44% para 1,10%) e Porto Alegre (1,71% para 1,08%).

Já as menores variações foram registradas em Goiânia (2,13% para 0,65%), Vitória (1,56% para 0,72%), Salvador (1,66% para 0,84%), Curitiba (2,54% para 0,92%), São Paulo (1,58% para 0,98%), Fortaleza (1,67% para 1,03%) e Belo Horizonte (1,49% para 1,04%).

O levantamento também revelou que os produtos alimentícios tiveram uma leve desaceleração no mês (2,39% para 2,26%). Já os produtos não alimentícios registraram um recuo bem mais firme em relação a março (1,50% para 0,66%).

A saber, o INPC abrange dez regiões metropolitanas do país: Belém, Belo Horizonte, Curitiba, Fortaleza, Porto Alegre, Recife, Rio de Janeiro, Salvador, São Paulo e Vitória. Além destas, a coleta também acontece nos municípios de Aracaju, Brasília, Campo Grande, Goiânia, Rio Branco e São Luís.

Leia Também: Governo zera imposto de alimentos a partir de amanhã (12); veja quais são

Avalie o Artigo:

Sucesso na Internet:

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.