Gás de cozinha fica mais caro, apesar da redução feita pela Petrobras

Preço do botijão de 13 quilos recua levemente em quatro regiões, mas alta no Sudeste é suficiente para elevar valor nacional do gás

0

O preço médio do gás de cozinha subiu 0,10% na semana de 10 a 16 de abril. A variação representa uma alta de 12 centavos, ou seja, não afetará o bolso do brasileiro, pelo menos não mais do que já vem afetando.

Vale destacar que a expectativa era que o preço do botijão de 13 quilos recuasse nesta semana devido ao reajuste promovido pela Petrobras no último dia 9. Em resumo, a estatal reduziu em 5,58% o preço do gás em reais por metro cúbico. Isso corresponde a uma queda média de R$ 3,27 por botijão completo. No entanto, este reajuste não refletiu nos preços comercializados no país.

A propósito, o preço médio do gás de cozinha chegou a R$ 113,66 no país. De acordo com a Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), o botijão acumula alta de 0,99% em quatro semanas e de 33,29% em 12 meses.

Nesta atualização, o gás de cozinha até ficou mais barato em quatro regiões do país: Norte (-0,85%), Sul (-0,30%), Centro-Oeste (-0,26%) e Nordeste (-0,19%). Contudo, o valor do botijão subiu 0,74% no Sudeste e isso também fez o preço médio nacional avançar na semana.

A ANP revelou que o preço do gás subiu em apenas 8 das 27 Unidades da Federação (UFs), mas os avanços foram mais fortes que os muitos recuos. As altas mais expressivas vieram de São Paulo (+1,37%), Amazonas (+0,78%) e Rio de Janeiro (+0,77%).

Em contrapartida, as quedas mais intensas foram registradas no Amapá (-3,37%), Pará (-1,75%), Distrito Federal (-1,37%) e Pernambuco (-1,16%).

Ranking nacional do preço dos botijões

Com estas variações, o preço do botijão vendido no Rio de Janeiro seguiu como o mais barato do Brasil. O botijão custou R$ 102,299 no estado fluminense. Na sequência, ficaram: Pernambuco (R$ 103,288), Espírito Santo (R$ 106,851), Bahia (R$ 106,957), Distrito Federal (R$ 107,077), Sergipe (R$ 108,790) e Alagoas (R$ 108,911).

Por outro lado, o botijão mais caro do país foi o de Mato Grosso (R$ 135,436). Em seguida, ficaram: Rondônia (R$ 134,062), Acre (R$ 130,484), Roraima (R$ 125,417), Tocantins (R$ 124,483) e Amapá (R$ 123,444).

Apesar do recuo, o Norte continuou liderando o ranking nacional, com o botijão alcançando um valor médio de R$ 122,849. Em seguida ficou o Centro-Oeste, onde o preço chegou a R$ 121,185. O Sul completa o top três, com o botijão de gás custando R$ 116,030.

Dessa forma, os menores preços foram os comercializados no Nordeste (R$ 111,455) e no Sudeste (R$ 111,301), únicas regiões com valores menores que a média nacional.

Por fim, vale ressaltar que o levantamento da ANP mostra os preços médios de revenda do país, mas também os preços de paridade de importação nos postos. Em suma, o valor no Porto de Santos despencou 7,29% na semana, enquanto teve queda de 7,51% no Porto de Suape.

Leia Também: Gasolina e etanol ficam mais caros nos postos de combustíveis do país

5/5 - (1 vote)

Sucesso na Internet:

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.