Fome ou cansaço podem atrapalhar o foco na meditação

Além disso, o local escolhido para executar a técnica também pode influenciar no seu desempenho

0
Unsplash

São várias as orientações que incluem a meditação, como prática eficaz para amenizar inúmeros distúrbios emocionais, como a ansiedade, por exemplo.

Sem necessitar de equipamentos e outros recursos, a técnica pode até parecer simples, entretanto, requer muito treino, foco e disciplina.

Para garantir os inúmeros benefícios da meditação, muitos indivíduos recorrem a vídeos e tutoriais da internet, porém, a fim de aprender a prática com perfeição, nada melhor do que contar com orientação profissional.

Há vários tutores de meditação no país, inclusive, alguns deles trabalham online, basta dar uma pesquisada na rede para encontrar aquele que mais sintoniza com sua energia.

Além disso, evitar alguns hábitos durante a prática pode ajudar a tornar a performance ainda melhor. Veja quais são!

Meditar com fome

A prática da meditação requer total foco ao presente, portanto, qualquer sensação externa pode vir a atrapalhar a concentração e a fome é uma delas.

Com a fome, o corpo e a mente ficam em estado de alerta, sem contar as inúmeras sensações físicas que ela provoca, entre dor, fraqueza e até irritação. Portanto, a primeira dica para não perder o foco durante a meditação é não a praticar em jejum.

Dê preferência a alimentos leves, de fácil digestão e assim, nada poderá atrapalhar seus minutinhos de paz.

Meditar cansado

Assim como a fome, o cansaço pode atrapalhar e muito a meditação.

Isso porque o corpo acaba pedindo uma posição mais confortável e a própria mente não consegue pensar em outra coisa, a não ser descansar.

Apesar da prática não ter movimentos, exceto a respiração e manutenção da postura, o ato de buscar o controle dos pensamentos requer muita disposição e energia, por isso, o ideal é realizá-la quando tiver bem descansado.

Meditar na cama

Nas muitas aulas de meditação ofertadas na internet, a primeira recomendação é encontrar um local confortável, porém, isso não quer dizer que seja qualquer local.

A cama, por exemplo, pode induzir o sono e através do relaxamento da meditação, é bem capaz que o indivíduo durma ao invés de desenvolver a técnica.

Diante disto, o ideal é sentar-se sobre uma cadeira, tapete, esteira de ioga ou até em um colchonete. No mercado há opções de almofadas para a meditação, que podem ajudar a posicionar melhor o corpo, sem causar incômodos com a postura.

Mediar em ambiente barulhento

Outro fator ligado ao ambiente escolhido para a meditação é o quão silencioso ele pode ser. Principalmente para quem está começando, o barulho de TV, som, pessoas conversando entre outros ruídos externos podem tirar totalmente o foco da meditação.

Para que isso não aconteça, busque um local onde haja privacidade. Muitos praticantes da meditação acabam utilizando frequências binaurais para induzir certas sensações e também, desviar o foco dos sons externos.

Seguindo essas dicas, a meditação poderá render inúmeros benefícios ao corpo e mente, reduzindo a ansiedade, estresse e garantindo mais autoconhecimento neste pequeno momento de paz.

Leia também: Higiene do sono vem sendo uma das estratégias usadas para insônia na Pandemia

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.