Bolsonaro está com insônia e preocupa Planalto

0

Auxiliares do Palácio do Planalto informaram nesse sábado (10) que o presidente Jair Bolsonaro está causando preocupação por conta de seu extremo cansaço físico e mental; segundo eles, o presidente está sofrendo de  insônia. Um integrante do gabinete presidencial admitiu que tem recebido mensagens de Bolsonaro às 2h, 4h, 6h da manhã e, para ele, isso é um sinal de que ele não está dormindo.

A insônia de Bolsonaro

Existem vários prováveis fatores que podem estar estressando o presidente; dentre eles, pode-se citar a CPI, a negativa da PEC do Voto Impresso e a nova derrota nas pesquisas eleitorais de 2022.

CPI

A investigação da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) pode ser um dos fatores da insônia de Bolsonaro. A CPI serve para apurar a conduta do governo federal na pandemia da Covid-19. O senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP) começou a movimentar a investigação em janeiro, após o problema da falta de oxigênio para pacientes internados com coronavírus. O Senado quer saber se as ações do governo agravaram a pandemia.

A previsão é de que a CPI dure 90 dias, podendo ter prorrogação de mais 90 dias, mediante aprovação no plenário do Senado. Entretanto, o prazo máximo é o fim da atual legislatura, em 31 de janeiro de 2023.

PEC do voto impresso

Apenas  a base aliada do governo parece ser uma minoria empenhada na defesa do voto auditável, com a alegação é de que o atual sistema de urna eletrônica seria uma fraude e representaria riscos para as eleições de 2022.

Segundo consta na Agência Câmara de Notícias, a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 135/19 exige a impressão de cédulas em papel para a votação e apuração de eleições, plebiscitos e referendos no Brasil. O eleitor poderá conferir as cédulas, que deverão ser depositadas em urnas indevassáveis de forma automática e sem contato manual, para fins de auditoria.

Além disso, a PEC acrescenta a medida à Constituição. “A impressão do voto ou o rastro de papel, consubstanciado na materialização do voto eletrônico, é a solução internacionalmente recomendada para que as votações eletrônicas possam ser auditadas de forma independente”, afirma a autora da matéria, deputada Bia Kicis (PSL-DF).

A parlamentar argumenta que o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) age ativamente para derrubar leis aprovadas pelo Congresso brasileiro com a previsão da impressão do voto.

Na justificativa da proposição, Bia Kicis traça um histórico de leis consideradas inconstitucionais pela Justiça, revogadas por uma nova lei ou vetadas pela Presidência da República. Os argumentos apontavam para o sigilo do voto ou o custo das impressões, por exemplo.

Pesquisa eleitoral

A pouco mais de um ano das eleições presidenciais, uma pesquisa do instituto Datafolha, divulgada nesta sexta-feira (09) pelo site do jornal “Folha de S.Paulo” revelou que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) ampliou a vantagem sobre o atual chefe do Executivo, Jair Bolsonaro (sem partido).

De acordo com o levantamento, na pesquisa espontânea, a intenção de voto em Lula passou de 21% para 26%. No sentido oposto, a porcentagem de pessoas que pretendem votar em Bolsonaro foi de 17% para 19%. No segundo turno, o petista tem 58% contra 31% do atual presidente, que ainda busca um partido para chamar de ser nas eleições de 2022. Anteriormente, Lula tinha 55% e Bolsonaro 32%.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.