Auxílio Emergencial: Governo recupera 12% dos pagamentos indevidos

Confira as informações sobre o auxílio

0

De acordo com o Ministério da Cidadania, desde dezembro de 2020, o governo federal conseguiu recuperar o montante de R$ 6,9 bilhões em recursos do auxílio emergencial que foram pagos indevidamente em 2020 e 2021 para pessoas que não se enquadravam nos critérios do programa.

A saber, um relatório do Tribunal de Contas da União (TCU), elaborado com base em dados de órgãos de controle do próprio governo, aponta que o valor total de pagamentos indevidos do auxílio emergencial chega a R$ 54,6 bilhões.

Auxílio Emergencial: Governo recupera 12% dos pagamentos indevidos
Auxílio Emergencial: Governo recupera 12% dos pagamentos indevidos – Imagem: Brasil 123

Auxílio Emergencial

Este foi um benefício criado para ajudar os trabalhadores informais, desempregados e beneficiários do Bolsa Família que perderam a renda durante a pandemia de Covid-19.

Vale lembrar que o programa foi executado em duas etapas: entre abril e dezembro de 2020 e entre abril e outubro de 2021.

A partir de então, o Ministério busca a recuperação de recursos do auxílio emergencial por meio de mensagens enviadas aos que se beneficiaram dos pagamentos indevidos.

Desde a criação do auxílio emergencial, órgãos de controle se dividiram em diversas frentes para ajudar o governo a identificar pagamentos indevidos.

Mensagens para devolução do Auxílio Emergencial indevido

O ministério realizou quatro disparos de mensagens, notificando milhões de beneficiários, que foram orientados como providenciar a devolução dos valores indevidos.

Vale informar que os R$ 6,9 bilhões que o governo afirma ter conseguido levar de volta para os cofres da União incluem devoluções voluntárias, restituições no Imposto de Renda e recursos não movimentados dentro dos prazos legais.

De acordo com o TCU, 7,3 milhões de pessoas que não tinham direito ao programa receberam o benefício. Ainda mais, de acordo com o tribunal, 6,4 milhões de mães solteiras ganharam indevidamente uma cota excedente do auxílio emergencial.

Envio de mensagens vai continuar

Agora em 2022, o Ministério da Cidadania pretende manter o modelo de envio de mensagens. A pasta diz que vai analisar a efetividade da ação e realizar novos cruzamentos com bases de dados para aperfeiçoar a definição do público-alvo das correspondências.

Leia ainda: Calendário Auxílio Brasil: Pagamentos de janeiro começam na próxima semana; acompanhe

5/5 - (1 vote)

Sucesso na Internet:

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.