Simone Tebet diz que, se for escolhida pela 3ª via, será candidata mesmo sem o apoio de Doria

Simone Tebet também disse que respeitará as “regras do jogo” caso não for a escolhida para representar a terceira via

0

A senadora Simone Tebet (MDB), pré-candidata à presidência da República, revelou nesta segunda-feira (16) que respeitará o resultado das pesquisas internas encomendadas para definir quem será o nome que representará a terceira via nas eleições – o grupo tentará acabar com a polarização que acontece hoje em torno dos nomes do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e Jair Bolsonaro (PL).

Nesta segunda, durante sua participação em um ciclo de debates organizado pela Associação Comercial de São Paulo, a senadora afirmou que, caso o resultado for favorável, ela irá se manter como candidata com ou sem o apoio do ex-governador João Doria (PSDB).

A declaração de Simone Tebet acontece no momento em que os partidos que fazem parte da terceira via tentem entrar em acordo e indicar um único nome para a disputa eleitoral de outubro. Nos últimos dias, essas legendas encomendaram pesquisas quantitativas e qualitativas  para avaliar a posição dos pré-candidatos Simone Tebet e João Doria entre o eleitorado.

Assim como publicou o Brasil123 ao relatar sobre o descontentamento de Doria por conta do levantamento, a previsão é que o resultado seja divulgado na próxima quarta-feira (18). “O resultado há de ser cumprido”, afirmou nesta segunda a senadora.

“Se por ventura o meu nome for indicado na ‘quali’, e mesmo que os partidos não queiram somar conosco, eu serei pré-candidata e depois candidata à presidência da República pelo meu partido, independentemente de outros partidos se somarem conosco ou não”, completou Simone Tebet.

Em outro momento, a senadora disse que respeitará as “regras do jogo” se seu nome não for escolhido, mas que seguirá “firme e forte” caso tenha resultado favorável nas pesquisas. “Eu quero dizer o seguinte: com ou sem frente democrática, se o meu nome for escolhido e outros resolverem ‘Ah, não aceito as regras do jogo’, tentarem judicializar, é um direito que lhes assiste. Eu continuo”, disse.

“Eu não posso me dar ao direito de não ser pré-candidata à Presidência da República”, acrescentou ela em uma clara referência a Doria, que tem demonstrado  a intenção de ir à Justiça caso perca seu direito de concorrer às eleições.

Leia também: FHC sai em defesa de Doria em meio à crise no PSDB

Avalie o Artigo:

Sucesso na Internet:

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.