Ministro diz que governo quer privatizar Porto de Santos até dezembro

Além da privatização do Porto de Santos, o ministro também revelou que o governo trabalha para realizar leilões e promover uma renovação antecipada da concessão da ferrovia Centro-Atlântica

0

Marcelo Sampaio, ministro da Infraestrutura, afirmou nesta quinta-feira (30) que o governo pretende privatizar o Porto de Santos até dezembro deste ano. A declaração do chefe da pasta foi feita durante um evento de apresentação do balanço do primeiro semestre deste ano do ministério.

“O Porto de Santos é realmente um grande ativo. Temos trabalhado para fazer a privatização até o final deste ano, em dezembro de 2022. O TCU está muito aberto a acelerar esse processo. Estamos fechando os estudos no mês de julho e protocolamos no final do mês no TCU”, disse ele.

Em outro momento, Marcelo Sampaio afirmou que a expectativa é que o Tribunal de Contas da União (TCU) leve menos tempo do que o habitual para analisar o tema, pois o modelo da privatização é parecido com o adotado na desestatização da Companhia Docas do Espírito Santo (Codesa), realizada no começo deste ano.

 “Contamos com aprovação do TCU em 60 a 70 dias, isso permitiria fazer o leilão ainda neste ano, abrindo o edital agora no final do segundo semestre”, disse o ministro após ter sido questionado sobre a privatização do Porto de Santos.

Ministro fala em ativos para leilão

Além de comentar sobre a privatização do Porto de Santos, o ministro também revelou que o governo trabalha para realizar leilões de 38 ativos e ainda para promover uma renovação antecipada da concessão da ferrovia Centro-Atlântica; Isso, até o fim deste ano.

Segundo Marcelo Sampaio, a expectativa é que os projetos futuros da pasta somem R$ 100 bilhões em investimentos. Além disso, ele relata que o ministério está “publicando também mais 23 editais para novos leilões, mostrando que essa agenda continua em 2023, 2024, 2025.

“E nós pretendemos fechar o ano com mais R$ 100 bilhões contratados, ou seja R$ 200 bilhões de investimentos contratados até o final do ano de 2022”, disse ele, finalizando que a previsão do ministério é que 44 ativos sejam concedidos em 2023, sendo quase 16 mil quilômetros em rodovias.

Leia também: Rendimento do trabalhador no Brasil diminui 7,2% em um ano

Avalie o Artigo:

Sucesso na Internet:

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.