Inflação na zona do euro bate novo recorde em abril

Meta do Banco Central Europeu (BCE) é de 2%, mas inflação chegou a 7,5% a ritmo anual neste mês; preços da energia seguem pressionando taxa

0

zona do euro encerrou abril deste ano com a maior inflação já registrada na história do bloco europeu. A saber, a inflação acumulada em 12 meses cresceu de 7,4% em março para 7,5% em abri, segundo o Eurostat, escritório de estatísticas da União Europeia (UE).

Este é um novo recorde para a taxa, que já havia atingido o maior patamar da história em março. A propósito, a inflação veio em linha com as estimativas de analistas, que projetavam uma variação de 7,5% no mês. Isso mostra que o mercado está ciente das pressões inflacionárias, e que a população europeia enfrenta o maior custo de vida já registrado.

Na verdade, desde dezembro do ano passado que a inflação anual da zona do euro vem alcançando marcas históricas. Em resumo, o Eurostat começou a medir os preços ao consumidor na região em janeiro de 1997, ou seja, essa é a maior taxa anual em mais de 25 anos.

Taxa inflacionária supera meta do BCE

Vale destacar que a inflação está 3,75 vezes superior à meta do Banco Central Europeu (BCE) para a zona do euro, de 2% ao ano. A taxa vinha crescendo nos últimos meses devido aos impactos da pandemia da Covid-19 na cadeia global de abastecimentos. Contudo, a guerra entre Rússia e Ucrânia agravou ainda mais a situação na Europa.

Em resumo, os preços da energia continuam como os principais responsáveis pela inflação elevada na região. Contudo, as tarifas da energia registraram uma forte desaceleração no mês, passando de 44,4% em março para 38% em abril, em ritmo anual. Seja como for, a taxa ainda está muito elevada.

Por outro lado, a inflação dos alimentos acelerou em abril, fortalecendo a taxa geral na zona do euro. A saber, os alimentos acumularam uma elevação anual de 6,4% neste mês, contra 5,0% em março.

Em seguida, aparecem os bens industriais não energéticos, cuja taxa avançou de 3,4% para 3,8%, e os serviços, que passaram de 2,7% para 3,3% entre março e abril.

Veja mais detalhes do recorde da inflação

Em suma, o núcleo do CPI, que exclui preços mais voláteis de energia e alimentos, acumulou uma inflação de 3,9% em abril a ritmo anual. A taxa também veio bem acima dos 3,2% registrados no mês passado.

Há também outra medida mais restrita, que exclui produtos de álcool e tabaco. Nesse caso, a inflação subiu de 2,9% para 3,5% a ritmo anual entre março e abril. A propósito, ambos os dados, do núcleo do CPI e da medida mais restrita, vieram acima das projeções do mercado.

A zona do euro é formada atualmente por 19 países do continente europeu: Alemanha, Áustria, Bélgica, Chipre, Eslováquia, Eslovênia, Espanha, Estônia, Finlândia, França, Grécia, Irlanda, Itália, Letônia, Lituânia, Luxemburgo, Malta, Holanda e Portugal. E o resultado da inflação na zona do euro consiste na média da inflação de todas estas economias no mês.

Leia Também: Taxa de informalidade atinge 40,1% da população ocupada no 1º trimestre

Avalie o Artigo:

Sucesso na Internet:

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.