Globo nega ter sido responsável por produção ficcional que simula atentado contra presidente

Apoiadores de Bolsonaro atribuíram à “TV Globo” a autoria da cena, que mostra o presidente fictício caído com manchas vermelhas ao lado de uma motocicleta

0

A “TV Globo” publicou uma nota neste sábado (16) negando que seja a responsável pela produção de uma cena em que é simulado um suposto atentado contra o presidente da República. As imagens mostram um personagem com uma faixa presidencial e uma camisa branca em cima de uma moto.

Por conta do vídeo, que mostra o presidente fictício caído com manchas vermelhas ao lado do veículo, apoiadores do presidente Jair Bolsonaro (PL) foram às redes sociais e atribuíram à “TV Globo” a autoria da cena, o que foi desmentido pela emissora carioca na noite deste sábado.

“A Globo desmente que pertençam a produções suas – seja para canal aberto, canais fechados próprios ou Globoplay – vídeo e fotos que estão circulando nas redes sociais de gravação de obra ficcional mostrando um atentado ao presidente da República”, informou a emissora.

No comunicado, a empresa afirmou ainda que não tem nenhuma série, novela ou programa com esse conteúdo. Ainda de acordo com a “TV Globo”, a gravação seria de um filme do cineasta Ruy Guerra chamado ‘A Fúria’ – ele pretende fechar a trilogia iniciada com ‘Os Fuzis’, de 1964, e ‘A Queda’, de 1976.

“O Canal Brasil tem uma participação de apenas 3,61% nos direitos patrimoniais desse filme, mas jamais foi informado dessas cenas e, como é praxe em casos de cineastas consagrados, não supervisiona a produção. Embora tenha participação acionária no Canal Brasil, a Globo não interfere na gestão e nos conteúdos do canal”, informou a emissora.

Apoiadores de Bolsonaro atribuíram à “TV Globo” a autoria da cena, que mostra o presidente fictício caído com manchas vermelhas ao lado de uma motocicleta
Apoiadores de Bolsonaro atribuíram à “TV Globo” a autoria da cena, que mostra o presidente fictício caído com manchas vermelhas ao lado de uma motocicleta. (Foto: reprodução)

Também em um comunicado, o “Canal Brasil” confirmou que as cenas são do filme em questão e, assim como a “TV Globo”, além de informar que “apoia a produção independente de cinema”, disse que “não interfere nas obras que apoia” e nem teve conhecimento prévio dessa cena. “Ainda não assistimos a nenhum trecho do longa-metragem, que não foi finalizado por seus realizadores”, afirmou a emissora.

Leia também: Bolsonaro diz que inquérito que o acusa de violência: “é uma covardia”

5/5 - (1 vote)
Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.