Expectativa de consumidores para a inflação é a maior desde 2016

Levantamento da FGV revela que expectativa de inflação saltou 1,2% em outubro devido ao aumento dos preços no país

0

Os consumidores brasileiros projetaram em 8,9% a taxa da inflação para os próximos 12 meses. Esses dados fazem parte do novo levantamento divulgado pela Fundação Getulio Vargas (FGV) nesta segunda-feira (25).

Em resumo, esse resultado corresponde à expectativa mediana, que teve forte alta de 1,2% ponto percentual (p.p.) em outubro deste ano na comparação com o mês anterior. Aliás, esse é o maior patamar indicado pelos consumidores desde dezembro de 2016 (9,1%). 

A economista da FGV, Viviane Seda, afirmou que o aumento dos preços continua impedindo a retomada da confiança do consumidor no país. Inclusive, a economista destacou que o avanço de 1,0 ponto do Índice de Confiança do Consumidor (ICC) não pode ser considerado como positivo, pois a inflação não mostra sinais de enfraquecimento.

Ainda segundo a economista, as expectativas para os próximos meses cresceram devido à perspectiva de atividade de serviços mais aquecida. Em outras palavras, ela disse que o avanço contínuo de vacinação e a flexibilização da circulação social impulsionam o comércio, mas a alta dos preços não permite que o otimismo prevaleça.

Auxílio Brasil não impulsionará todo o consumo do país

A saber, o mercado vem direcionando suas atenções ao Auxílio Brasil nas últimas semanas. Em suma, o programa assistencial entrará em vigor no país a partir de novembro e terá o valor de R$ 400 até dezembro de 2022. No entanto, Viviane Seda não acredita que o benefício conseguirá elevar o consumo geral do país.

“É preciso lembrar que o novo auxílio contempla uma parte da população [sendo direcionado para os mais pobres]; e a inflação atinge a todas as faixas de renda”, disse.

Por isso, a economista afirmou que a única forma de pensar em uma mudança no pensamento da população sobre a inflação só acontecerá quando esta mostrar algum alívio.

Leia Mais: Lucro líquido do Facebook cresce 17% no terceiro trimestre

Avalie o Artigo:

Está "bombando" na Internet:

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.