Engenheiros do Google criam primeiro sindicato

1

Um grupo de mais de 225 engenheiros e outros funcionários do Google anunciou a criação de um sindicato de trabalhadores. Isso foi revelado pelo New York Times, que conta como esse sindicato é uma novidade no Vale do Silício, historicamente relutante em formar associações de trabalhadores em empresas de alta tecnologia.

A criação de sindicatos é, na verdade, incomum para toda a indústria de tecnologia americana, que é composta em grande parte por gerentes e trabalhadores de colarinho branco. Durante anos, de fato, foram feitas tentativas de resistir às tentativas dos trabalhadores de encontrar qualquer forma de organização sindical. 

Contudo, as crescentes demandas dos funcionários do Google para revisar as políticas da empresa sobre salários, assédio e questões éticas aceleraram o processo de formação da organização de trabalhadores. Fato que, a certo ponto, pode aumentar as tensões com a alta administração.

O novo sindicato se chama Alphabet Workers Union, em homenagem à empresa-mãe do Google, a Alphabet. Como revela o jornal de Nova York, o grupo foi organizado em segredo durante a maior parte do ano. Então, no mês passado, o projeto ganhou forma com a eleição de seus dirigentes. 

Sindicato do Google

O grupo é filiado ao Communications Workers of America, um sindicato que representa os trabalhadores de telecomunicações e mídia dos Estados Unidos e Canadá. 

Ao contrário de um sindicato tradicional que exige que um empregador vá à mesa de negociações para chegar a um acordo, a associação dos trabalhadores do Google é o chamado sindicato minoritário. Ou seja, representa uma pequena fração dos mais de 260 mil funcionários em tempo integral e associados da empresa. 

Os trabalhadores disseram que foi um esforço para dar estrutura e longevidade ao ativismo do Google. Em vez disso, haveria menos interesse em um papel nas negociações simpáticas sobre salários e folhas de pagamento.

Leia Também:

1 comentário
  1. […] profissões da área de tecnologia da informação estão cada dia mais em alta. Com a pandemia e a necessidade de distanciamento […]

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.