Vendas de derivados da Petrobras crescem 2% no primeiro trimestre

Empresa revela que houve vendas médias de 1,7 milhão de barris por dia; diesel e GLP têm dados negativos, mas vendas de gasolina e querosene de aviação crescem

0

A Petrobras encerrou o primeiro trimestre deste ano com resultados positivos sobre os seus derivados. A saber, as vendas de derivados da estatal cresceram 2,0% em relação ao mesmo período do ano passado, chegando a 1,7 milhão de barris por dia (barris/dia).

De acordo com a Petrobras, as vendas de gasolina e querosene de aviação (QAV) cresceram na comparação com 2021. Por outro lado, a comercialização de diesel e gás liquefeito de petróleo (GLP), o famoso gás de cozinha, não superou as vendas dos três primeiros meses do ano passado.

Já na comparação com o último trimestre de 2021, o volume de derivados vendidos caiu 8%. Em resumo, isso aconteceu devido à venda da Refinaria Landulpho Alves (Rlam), na Bahia, que reduziu a produção da estatal.

Além disso, a Petrobras se beneficiou no ano passado com o aumento da demanda por óleo combustível para as termelétricas. Isso porque o Brasil sofreu em 2021 com a pior crise hídrica dos últimos 91 anos, e o governo elevou exponencialmente o uso de termelétricas para gerar a energia elétricas que as hidrelétricas não estavam conseguindo por causa da falta de chuvas.

Veja mais detalhes das vendas do derivados da Petrobras

Segundo os dados da Petrobras, a comercialização de gasolina totalizou 402 mil barris/dia no primeiro trimestre. Isso representa um forte aumento de 17,3% em relação ao mesmo período de 2021. Em contrapartida, o volume de vendas encolheu 9,3% em relação ao quarto trimestre do ano passado.

Por sua vez, as vendas de QAV chegaram a 97 mil barris/dia, o que corresponde a um crescimento de 5,6% na comparação trimestral  e de 33,4% na base anual. Em suma, a recuperação do setor aéreo impulsionou as vendas de QAV, que tiveram fortes quedas em 2020 e 2021 devido à pandemia da Covid-19.

Já as vendas de diesel totalizaram 716 mil barris/dia, queda de 9,3% em relação ao trimestre anterior e de 2,1% na comparação com o primeiro trimestre de 2021. A saber, o diesel é o combustível mais usado no Brasil, mas seu preço acumula uma forte alta de 52,53% nos últimos 12 meses encerrados em março. Isso pode ter sido a principal razão para a queda das vendas no trimestre.

Por fim, as vendas de gás liquefeito de petróleo (GLP) atingiram a marca de 19 mil barris/dia entre janeiro e março. Este valor representa uma retração de 11,9% na comparação com o mesmo período de 2021.

Leia Também: Preço médio do gás de cozinha volta a subir no país

Avalie o Artigo:

Sucesso na Internet:

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.