Tempo seco favorece o surgimento de doenças oculares

No inverno, essas incidências costumam aumentar

0
Unsplash

Nem só de gripes e resfriados se caracterizam as doenças de inverno; saiba que até os problemas oculares costumam ser mais comuns neste período.

O tempo seco, baixa umidade do ar e a concentração em ambientes mais fechados favorecem essas incidências, visto que os olhos acabam tendo este contato direto com ar.

Dentre as condições, as conjuntivites virais e alérgicas, a blefarite e o olho seco estão entre as mais frequentes. Veja mais detalhes sobre cada uma delas!

Conjuntivite viral

Muito comum e altamente contagiosa, a conjuntivite viral é uma inflamação nos olhos, em especial na região do tecido transparente, que reveste os olhos e as pálpebras internamente, a conjuntiva.

Causada por um vírus, que pode ser o adenovírus ou o herpes, a infecção pode ser transmitida através da saliva, secreções respiratórias, além da própria lágrima. Diante disso, o uso de objetos pessoais do infectado, como maquiagens, fronhas, toalhas, aparelhos eletrônicos e até superfícies tocadas por ele, devem ser evitadas por outras pessoas.

Dentre os principais sintomas da Conjuntivite Viral estão:

  • Coceira
  • Inchaço das pálpebras
  • Lacrimejamento
  • Muita sensibilidade à luz
  • Olhos vermelhos
  • Embaçamento da visão
  • Apresenta secreção aquosa e esbranquiçada

 

Conjuntivite alérgica

Já a conjuntivite alérgica também se caracteriza pela inflamação na conjuntiva, porém, após uma reação alérgica.

Dentre os estímulos mais comuns de reação alérgica, que ocasionam essa condição, o contato com pólen, esporos de fungos ou ácaros do pó são bem frequentes.

Os sintomas podem até parecer semelhantes da conjuntivite viral, entretanto, a coceira costuma ser mais intensa na alérgica.

Além disso, nesta condição, não há aparecimento de muco, apenas excesso de lacrimejamento.

 

Blefarite

Outra inflamação bem comum nos olhos durante o inverno é a Blefarite. Diferente da conjuntivite viral, ela não é contagiosa.

Já sua causa pode tanto ser bacteriana como também, por um processo inflamatório relacionado à produção excessiva de uma secreção oleosa, gerada por glândulas encontradas na pálpebra.

Os sintomas são:

  • Pálpebras vermelhas
  • Coceira
  • Oleosidade e crostas na região ocular
  • Secura nos olhos

Olho Seco

A lubrificação inadequada ou falta dela na superfície dos olhos pode originar o Olho Seco.

Os sintomas incluem olhos secos, vermelhos, muita sensibilidade e desconforto à luz.

Além do inverno, outra condição que favorece o surgimento do olho seco é o uso demasiado de telas e ar condicionado.

O que fazer para evitar tais complicações no inverno?

Para prevenir essas doenças oculares, devido ao clima seco do inverno, primeiramente é imprescindível estar em dia com as consultas com oftalmologista. O profissional, além de avaliar a saúde ocular, irá direcionar a melhor forma de cuidar dos olhos em cada estação.

Além disso, outros cuidados básicos no dia a dia são essenciais para evitar problemas nos olhos, entre eles:

  • Lavagem com soro fisiológico
  • Uso de colírios lubrificantes (prescritos pelo Oftalmo)
  • Piscar mais vezes
  • Reduzir o uso de telas

Também é indicado, que mesmo que esteja mais frio, manter os ambientes sempre ventilados e caso a umidade do ar esteja muito baixa, o uso de um umidificador pode ajudar nesses casos.

Veja mais: Cuidados com a saúde óssea e respiratória devem ser priorizados no inverno

 

 

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.