Inflação na zona do euro bate novo recorde em dezembro

Meta do Banco Central Europeu (BCE) é manter a taxa em 2%, mas inflação dispara para 5,0% no último mês de 2021

0

A zona do euro encerrou dezembro de 2021 com a maior inflação já vista na região. A saber, a taxa acumulada nos 12 meses do ano passado subiu de 4,9% para 5,0% entre novembro e dezembro. Esse é o maior patamar para a taxa nos 30 anos da série histórica, que teve início em julho de 1991, época em que a inflação também havia alcançado 5%.

Vale destacar que o valor supera em duas vezes e meia a meta do Banco Central Europeu (BCE) para a zona do euro, que atualmente está em 2%. Aliás, o instituto de estatísticas da União Europeia, Eurostat, divulgou os dados nesta sexta-feira (7).

Em resumo, o índice de preços ao consumidor (CPI, na sigla em inglês) subiu apenas 0,1% na comparação com novembro. Embora a variação tenha sido bem modesta, superou as estimativas de analistas, que acreditavam num recuo de 0,2%, para 4,7%.

O que impulsionou a inflação mais uma vez foi a energia, que disparou 26% no mês, na comparação com o mesmo dezembro de 2020, e contribuiu com mais de 2,0 pontos percentuais (p.p.) para a taxa anual. Ou seja, mais da metade da inflação local é decorrente dos altos preços da energia na região.

Veja mais detalhes da disparada da inflação na região

De acordo com a Eurostat, a inflação anual da zona do euro segue muito expressiva nos últimos meses devido a gargalos na cadeia de oferta. Esse fato vem limitando a disponibilidade de produtos em um momento de aumento de gastos das famílias.

Aliás, o Banco Central Europeu (BCE) continua acreditando que a elevação da inflação é temporária. Em suma, a entidade afirma que a maioria dos fatores para essas taxas expressivas é passageira. O BCE estima que a inflação na zona do euro voltará a ficar abaixo dos 2% no final de 2022. Contudo, muitos analistas afirmam que taxas acima desse nível devem seguir até 2023.

A zona do euro é formada atualmente por 19 países do continente europeu: Alemanha, Áustria, Bélgica, Chipre, Eslováquia, Eslovênia, Espanha, Estônia, Finlândia, França, Grécia, Irlanda, Itália, Letônia, Lituânia, Luxemburgo, Malta, Holanda e Portugal. E o resultado da inflação na zona do euro consiste na média da inflação de todas estas economias no mês.

Leia Mais: Preços de material escolar têm variação de até 381% em sites

Avalie o Artigo:

Sucesso na Internet:

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.