Brasil bate recorde com exportações de soja em 2021

Exportações de milho caem no ano e atingem menor patamar desde 2012 devido a problemas climáticos e fatores externos

0

A Associação Nacional dos Exportadores de Cereais (Anec) revelou que as exportações de soja bateram recorde em 2021. De acordo com a entidade, o país enviou 86,63 milhões de toneladas do cereal para o exterior no ano passado. Assim, superou o antigo recorde, registrado em 2018, quando 83,78 milhões de toneladas seguiram para fora do país.

Na comparação com o resultado de 2020, as exportações cresceram 5,26%. Em 2020, o Brasil enviou 82,3 milhões de toneladas de soja para o exterior. A Anec divulgou os dados nesta quarta-feira (5).

A saber, quase 70% do total de soja exportado no ano passado seguiu para a China. Em resumo, o Brasil enviou quase 60 milhões de toneladas para o país asiático em 2021. Aliás, a China continuou como o principal comprador de soja de país.

A Anec destacou os fortes números da colheita de soja no país, que impulsionaram o resultado em 2021. “A safra brasileira de soja atingiu sua maior produção na temporada 2020/21: 137,1 milhões de toneladas. Esse resultado promoveu um incremento de 6% nas exportações da commodity em relação ao período anterior”, afirmou a Anec.

Volume de exportações de milho é o menor em nove anos

Além disso, a entidade revelou que as exportações de milho totalizaram 20,55 milhões de toneladas em 2021. Esse é o menor patamar desde 2012, quando o Brasil enviou 19,8 milhões de toneladas de milho para o exterior.

Na comparação com 2020, as exportações despencaram 38,47%, visto que o país enviou 33,4 milhões de toneladas de milho para o exterior em 2020. Em suma, isso ocorreu devido a problemas climáticos do Brasil, como secas e geadas, que afetaram a segunda safra 2020/21.

“A produção de milho foi de 85,8 milhões de toneladas, aproximadamente 18% menor em 2020/21 em comparação com a temporada anterior. Isso levou a uma queda importante nas exportações”, explicou a Anec.

Aliás, a associação ressaltou que cerca de 1,47 milhão de toneladas seguiu para atender à demanda interna. Dessa forma, o volume exportado acabou ainda mais enfraquecido no ano passado.

“Devido à flutuação da quantidade de milho disponível para exportação, o mercado de comércio internacional se depara com uma grande quantidade de recompras de contratos (washout) e suas consequências, como reescalonamento de navios, mudanças logísticas, novos contratos de venda, etc”, acrescentou a Anec.

Por fim, o levantamento ainda revelou que as exportações de farelo de soja bateram recorde no ano passado. A saber, o volume enviado ao exterior passou de 16,4 milhões de toneladas em 2020 para 16,9 milhões de toneladas em 2021. Esse é o maior nível da série histórica, iniciada em 2011.

Leia Mais: Inflação da indústria desacelera em novembro, aponta IBGE

Avalie o Artigo:

Sucesso na Internet:

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.