Benefício extra do Auxílio Brasil: Lira pede responsabilidade fiscal na votação

Benefício Extraordinário é o complemento para alcançar o valor mínimo de R$ 400

0

O presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL), disse nesta terça-feira (19) que a votação da medida provisória que institui um benefício extra para complementar o valor do Auxílio Brasil (MP 1076/21) vai refletir a polarização política no país.

Segundo Lira, há risco de os valores previstos serem maiores do que os apresentados na MP, mas, antes de tudo, ele defendeu a responsabilidade fiscal.

Benefício extra do Auxílio Brasil: Lira pede responsabilidade fiscal na votação
Benefício extra do Auxílio Brasil: Lira pede responsabilidade fiscal na votação – Imagem: Brasil 123

Complemento de valor para o Auxílio Brasil

Inicialmente editada para o mês de dezembro de 2021, a MP dependia da aprovação da PEC dos Precatórios para que o pagamento desse adicional do Auxílio Brasil pudesse ser estendido durante o ano de 2022.

Com a transformação da PEC na Emenda Constitucional 114, o Decreto 10.919/21 prorrogou o pagamento do benefício de janeiro a dezembro de 2022.

Para 2023, não há previsão de pagamento do benefício extraordinário junto com o recebido por meio do programa Auxílio Brasil, cuja média está em torno de R$ 224. O benefício extraordinário é utilizado para complementar o valor do Auxílio Brasil que pode chegar, pelo texto apresentado pelo Executivo, a R$ 400 por família.

“Vai ser uma votação disputada na possibilidade da polarização de esquerda e direita. Acima de tudo, temos que ter responsabilidade. O programa já veio inovando, saiu de R$ 90 para R$ 400 e um teto que vai até R$ 852, um número bastante significativo, apesar de não do tamanho que a população merece”, disse Lira.

“Isso vai ser tratado com todas as possiblidades de se manter o valor. O risco de aumentar sempre tem, não fizemos discussões sobre isso, mas é um valor que já tem sido pago há meses. Espero que tenhamos responsabilidade sobre isso”, acrescentou.

Nova rodada de pagamentos

Como veiculado aqui no Brasil 123, o pagamento mínimo de R$ 400 já vem sendo aplicado desde dezembro, e o calendário de abril, para o repasse da sexta parcela do Auxílio Brasil, teve início no dia 14.

Nesta quarta-feira (20), é a vez dos beneficiários com Número de Identificação Social (NIS) com dígito final 4 terem o crédito em suas contas.

Com informações da Agência Câmara de Notícias

Confira ainda: CAIXA libera Saque Calamidade do FGTS; veja quem tem direito

Avalie o Artigo:

Sucesso na Internet:

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.