Governo não quer abrir novos cadastros para o Auxílio Emergencial

Isso quer dizer que quem não está na base de cadastro do auxílio emergencial não vai ter chances de receber o benefício de novo

3

O Governo Federal já traçou a sua estratégia para o novo Auxílio Emergencial. De acordo com informações de bastidores, a ideia do Planalto é não permitir a realização de novos cadastros. A decisão gerou inúmeras críticas, mas o Ministério da Economia já bateu o martelo. Ao menos internamente.

Com isso, quem não tem cadastro no Governo não vai poder receber a prorrogação do auxílio este ano. No final das contas, essa pessoa não vai nem sequer ter a possibilidade de tentar entrar no programa. O Governo alega que não fará cadastros novos para agilizar o processo.

Então sem novos cadastros, a ideia do Governo é usar a base de dados do próprio Ministério da Economia. E aí neste ponto a ideia é mesmo passar um pente fino. O Governo quer evitar que pessoas que não precisam do dinheiro, saquem o montante do Auxílio Emergencial. 

Dentro do Ministério da Cidadania, já se sabe que esse não vai ser um trabalho fácil. Eles irão cruzar os dados de vários cadastros do Governo para saber quem vai e quem não vai receber o auxílio emergencial este ano. 

Não se sabe ainda quem vai receber esse programa. Apenas quem recebe o Bolsa Família pode ficar tranquilo. Isso porque o Governo já decidiu que essas pessoas irão receber o benefício. Mas será uma diferença pequena. Eles recebem em média R$190 do Bolsa e passarão a receber no máximo R$375 agora. 

Cadastros do auxílio

O Governo quer tentar acabar também com as fraudes no auxílio. Como se sabe, boa parte dessas fraudes aconteceram justamente nestes cadastros. Os bandidos se aproveitaram de um sistema de segurança novo e acabaram desviando milhões de reais do auxílio. 

De acordo com as informações do próprio Governo Federal, o novo auxílio vai pagar uma média de R$250 para os beneficiários. Mas no caso dos homens solteiros esse valor cai para R$175. Mães solteiras recebem R$375. Mas tudo isso ainda pode mudar no Congresso Nacional.

Veja também: Pagamento do Bolsa Família: nova parcela em 8 dias para este grupo

Veja Também:

3 Comentários
  1. Renata Adriana Diz

    Então qm ficou desempregado por causa da pandemia após o término do cadastro, passa fome, não é visto então como trabalhador? Na contramão disso um monte de presidiários recebendo auxílio emergencial, seja por fraude ou falta de análise nos critérios, Brasil sendo Brasil, o crime, a fraude, e a corrupção compensam, uma falta de respeito cm povo!

    0
    0
Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.