Vereador de SP é detido dentro de piscina acusado de injúria e preconceito no Rio

Segundo as informações, a confusão aconteceu porque o vereador teria ofendido moradores e um funcionário com frases racistas

0

Renato Oliveira (MDB), vereador de Embu das Artes, na Grande São Paulo, protagonizou cenas lamentáveis no domingo (23) enquanto ele estava em Curicica, na Zona Oeste do Rio de Janeiro. Por lá, o parlamentar foi detido dentro de uma piscina. Segundo as informações, a confusão aconteceu porque o  parlamentar teria ofendido moradores e um funcionário com frases racistas.

Nesta segunda-feira (24), imagens que viralizaram pelas redes sociais mostram um agente da Polícia Militar entrando dentro de uma piscina para tentar conter o vereador que, na ocasião, além de afirmar que não fez nada, desferiu inúmeros palavrões.

Mesmo com a truculência e resistência, o vereador foi retirado da piscina e levado para fora do local onde as ofensas teriam acontecido. Moradores que viram a ação da PM aplaudiram os policiais. Veja um trecho da confusão:

Vereador nega racismo

Em entrevista ao portal “G1”, Renato Oliveira, que foi liberado e vai ser investigado pelo caso, negou que tenha cometido qualquer ato racista. De acordo com ele, a confusão aconteceu por conta de uma caixinha de som. Além disso, o parlamentar afirmou que sequer conversou com o funcionário que o acusou de injúria racial.

“Tava com uma caixinha de som, um dos funcionários até botou uma música e depois informaram que não podia som. Eu desliguei e falei que não sairia da piscina”, começou o vereador. “A polícia veio, eu me desculpei com os outros moradores pelo acontecido, com a orientação dos policiais de que eu poderia permanecer, eu fiquei lá tranquilo na piscina”, completou.

Depois disso, explica o vereador, os moradores chamaram a PM novamente e, naquele momento, chegou um cabo identificado como Henrique. “Ele pediu para que eu saísse. Mas não tinha crime nenhum. Um dos funcionários do condomínio, que eu sequer tinha falado com ele, fato confirmado na delegacia por três testemunhas, me acusou de injúria racial”, disse.

“Essa acusação não tem nada a ver comigo, nada a ver com minha forma de tratar e o denunciei por denunciação caluniosa e a funcionária que foi com ele por falso testemunho”, completou o parlamentar, que além de vereador, é presidente da Câmara Municipal de Embu das Artes.

Leia também: Dupla é presa acusada de se passar por empresários sertanejos e dar golpes de até R$ 80 milhões, diz a polícia

5/5 - (2 votes)

Sucesso na Internet:

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.