TSE fecha acordo com o Spotify para combater a desinformação nas eleições

O Spotify vai disponibilizar um canal de comunicação onde o assinante poderá denunciar conteúdos a serem analisados pela plataforma

0

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e o Spotify fecharam um acordo que tem por objetivo combater a desinformação no período eleitoral. Segundo a Corte, apesar de ter sido revelado na noite de quinta-feira (12), o acordo foi assinado pelas partes na última segunda-feira (09).

Presidente do TSE diz que a ‘democracia está ameaçada’

Por conta da aliança, será disponibilizado um canal de comunicação onde o assinante poderá denunciar conteúdos a serem analisados de acordo com as regras do Spotify. De acordo com o TSE, a Corte e também os Tribunais Regionais Eleitorais (TREs) poderão usar esse meio para enviar ordens judiciais até o dia 31 de dezembro, que é quando a parceria acaba.

Central das eleições no Spotify

O Spotify, plataforma de streaming de áudio mais famosa e usada do mundo, também vai disponibilizar um recurso online que servirá como centro para informações relevantes sobre o processo eleitoral.

Nesta ferramenta, o assinante terá acesso a materiais sobre serviços da justiça eleitoral e até um link que visa direcioná-lo ao portal oficial do TSE na internet. “O acordo entre TSE e Spotify ainda envolve treinamentos de produção de conteúdo pela plataforma às equipes do TSE e dos TREs”, informou o tribunal.

Ainda conforme o TSE, a Corte “se comprometeu a disponibilizar informações e relatórios sobre o desenvolvimento das eleições que possam ser importantes para o Spotify”.

Acordos com redes sociais

Assim como vem publicando o Brasil123, desde o ano passado, o TSE tem procurado as principais redes sociais com o objetivo de adotar medidas que visam combater a disseminação de informações falsas e que possam comprometer a disputa eleitoral neste ano. Hoje, na busca por frear a proliferação das fake news, a Corte tem parcerias com plataformas como Facebook, WhatsApp e Instagram, Google, Twitter e TikTok.

Leia também: Conteúdo sobre eleições será monitorado no Facebook, Instagram e WhatsApp

Avalie o Artigo:

Sucesso na Internet:

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.