‘Tiktokers’ que simularam furto em Copacabana vão responder por incitação ao crime

Ao todo, quatro jovens foram identificados - apenas um é maior de idade. Eles gravaram um "tutorial" de como furtar um celular

0

“Tiktokers” cariocas foram longe demais e obrigaram a Polícia Civil da Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente (DPCA) deflagrarem uma operação. O motivo: identificar quem são os jovens que gravaram um vídeo no Tik Tok “demonstrando” como se faz para furtar um celular.

Diretor de presídio do Rio é exonerado após caso de ‘preso do Tik Tok’ vir à tona

De acordo com a Polícia Civil nesta segunda-feira (24), o “tutorial do crime” foi publicado no domingo (23). Segundo a entidade, os integrantes da gravação são três adolescentes, de 17, 15 e 14 anos, e o jovem Vicson Ribeiro Paulo, o mais velho do grupo, de 19 anos.

Na gravação, publicada na rede social do único maior de idade, é possível ver a narração de um suposto roubo de celular. Enquanto um dos adolescentes filma, outro integrante do grupo de “tiktokers” se aproxima e simula estar furtando o aparelho. Após o garoto pegar o celular, Vicson Paulo finaliza o vídeo dizendo: “Levou já, menor! Esquece! É a tropa do Complexo”.

Ao todo, quatro jovens foram identificados - apenas um é maior de idade. Eles gravaram um "tutorial" de como furtar um celular
Ao todo, quatro jovens foram identificados – apenas um é maior de idade. Eles gravaram um “tutorial” de como furtar um celular. (Foto: reprodução)

“Tiktokers” negam que são do crime

Por conta da repercussão que o “tutorial” teve, os “tiktokers”, que moram no Rio de Janeiro, gravaram um outro vídeo. Na gravação, eles negaram que são criminosos e que tudo não passou de uma brincadeira para causar engajamento.

Todavia, apesar da justificativa, a Polícia Civil diz que o quarteto vai responder por incitação ao crime. Segundo o delegado André Leiras, responsável pelo caso, os envolvidos, inclusive o maior de idade, foram acompanhados por seus responsáveis.

Ainda conforme o delegado, o celular em que a gravação foi feita acabou apreendido. Nele, os agentes constataram que os “tiktokers” haviam feito outras gravações do caso, o que fez com que ficasse comprovado que o vídeo não passava de uma simulação para a rede social.

“O que me convenceu que se tratava de uma brincadeira infeliz foi que no celular tinham diversas tentativas de filmagem do suposto roubo. Além disso, são todos de famílias de bem, não têm anotação criminal, estão arrependidos e acho que aprenderam a lição”, contou o delegado.

Leia também: Turista israelense imobiliza assaltante após ser esfaqueado em Salvador

Avalie o Artigo:

Sucesso na Internet:

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.