Safra de grãos em 2021 deve cair 1,3% em relação ao nível de 2020

Nova estimativa traz mais uma queda em relação à última projeção e o IBGE projeta pela segunda vez uma safra menor que a do ano passado

0

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgou nesta quinta-feira (7) a nova estimativa para a safra de grãos de 2021. De acordo com o levantamento, a produção nacional de grãos, cereais, leguminosas e oleaginosas deve atingir 250,9 milhões de toneladas neste ano.

Isso representa uma queda de 1,3% na comparação com a safra obtida em 2020 (254,1 milhões de toneladas), redução de 3,2 milhões de toneladas. Aliás, o IBGE vem reduzindo as estimativas há meses, e projeta pelo segudo mês consecutivo uma safra em 2021 menor que a do ano passado.

O Levantamento Sistemático da Produção Agrícola (LSPA) aponta que “a área a ser colhida é de 68,3 milhões de hectares, 4,4% maior (2,9 milhões de hectares) que a de 2020”. Com isso, a estimativa da área teve alta de 0,1% ou 55,7 mil hectares.

Veja mais detalhes sobre a safra de grãos em 2021 

O levantamento do IBGE mostra que o aumento de 10,3% na produção da soja deve puxar a produção nacional de grãos para cima, alcançando o nível recorde de 134,0 milhões. Por sua vez, a produção do arroz deve atingir 11,5 milhões de toneladas, com alta de 4,4% em relação a 2020.

Em contrapartida, a produção de milho deve despencar 16,4% na comparação com o ano anterior, totalizando 86,2 milhões de toneladas. Da mesma forma, a produção de algodão herbáceo também deve cair fortemente no período (-17,5%), atingindo 5,9 milhões de toneladas.

A saber, “o arroz, o milho e a soja, os três principais produtos deste grupo, representam 92,4% da estimativa da produção e respondem por 87,7% da área a ser colhida”, informou o IBGE. Em relação a área a ser colhida, houve acréscimos para milho (6,1%), e soja (4,8%) e quedas para o algodão (-16,0%) e estabilidade para o arroz.

“As regiões Sul (5,4%), Nordeste (1,7%) e Norte (1,3%) tiveram altas em suas estimativas este mês”, destacou o IBGE. Por outro lado, houve queda de 5,8% da estimativa para o Centro-Oeste, maior produtor nacional, que concentra 45,7% da produção do país. A região deve produzir 114,7 milhões de toneladas neste ano, informou o IBGE.

Ainda segundo o levantamento, Mato Grosso lidera com folga o ranking nacional, concentrando 28,5% da produção do país. Em seguida, vêm Rio Grande do Sul (15,0%), Paraná (13,3%), Goiás (9,2%), Mato Grosso do Sul (7,7%) e Minas Gerais (6,1%), que, somados, representam 79,8% do total nacional.

Por fim, vale ressaltar que o IBGE divulga mensalmente as projeções para a safra de cada ano. Por isso, todas as estimativas são passíveis de alterações no decorrer deste ano.

Leia Mais: Custo extra com bandeiras tarifárias deve crescer 255% neste ano

Veja Também:

Está "bombando" na Internet:

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.