Revisão cadastral do Bolsa Família é suspensa; saiba o que isso significa

Período sem interrupções de benefício é de seis meses

1

Ainda em março, o Governo Federal divulgou no Diário Oficial da União (DOU) uma portaria que suspende a revisão cadastral do Bolsa Família em seis meses, tornando proibido o bloqueio do benefício no caso das famílias que precisam atualizar os dados.

De acordo com as regras do programa, as famílias inscritas devem atualizar os dados cadastrais a cada dois anos. No entanto, devido à pandemia pelo novo Coronavírus, diversos serviços presenciais foram suspensos por tempo indeterminado, tornando impossível fazer a atualização.

Desse modo, o governo prorrogou o período em que os bloqueios do benefício não são permitidos, visto que em 2020, um prazo também foi estabelecido. Dessa vez, o governo optou por oferecer aos beneficiários um período de seis meses.

Revisão cadastral do Bolsa Família é suspensa; saiba o que isso significa
Revisão cadastral do Bolsa Família é suspensa; saiba o que isso significa – Imagem: Divulgação Welton Araújo/Veja

Governo suspende a revisão cadastral do Bolsa Família

Com o argumento de não expor os beneficiários e os funcionários das unidades de cadastramento do programa, o governo suspendeu por um semestre a revisão cadastral do Bolsa Família.

Ela é feita para que o benefício não seja pago de forma irregular, caso haja descumprimento das exigências do programa.

Assim sendo, durante esse período, nenhum benefício do Bolsa Família poderá ser bloqueado; ou seja, quando o participante é excluído do programa pelo fato de que seus dados não foram averiguados e atualizados. Além disso, os procedimentos operacionais e de gestão do Cadastro Único também foram suspensos.

A medida foi tomada pelo governo no mesmo contexto de pagamento da nova rodada do auxílio emergencial que começou em abril e será finalizada em julho.

Semelhante a como ocorreu no ano passado, os beneficiários do Bolsa Família recebem o benefício de maior valor. Caso seja o auxílio, o beneficiário recebe, de acordo com o calendário regular do programa, a cota emergencial.

Como acontece a revisão cadastral normalmente

Os beneficiários têm mais seis meses para reunir os documentos e se prepararem para a revisão cadastral do Bolsa Família.

Normalmente a atualização acontece a cada dois anos, obrigatoriamente, pelo Responsável Familiar. Desse modo, o RF deve levar os mesmos documentos que precisou para fazer a inscrição. Além dos seus documentos pessoais, deve levar um documento oficial de todos os membros da família.

Informações como mudanças de endereço, nascimento de crianças, óbitos e mudança de emprego devem ser informadas na hora da entrevista.

Veja ainda: SIBEC Bolsa Família: veja como consultar o benefício e saber se foi aprovado

Para conferir mais informações, clique aqui.

Leia Também:

1 comentário
  1. […] a data de início de pagamento da segunda parcela do auxílio emergencial para os inscritos no Bolsa Família. Conforme calendário divulgado pelo banco, terão direito de receber, no próximo dia 18 de maio, […]

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.