Quadrilha de SP fingia ser do call center de bancos para aplicar golpes em clientes

As integrantes da quadrilha ligavam para os clientes das agências, de preferência idosos, para afirmar que compras suspeitas foram registradas nos cartões dessas pessoas

0

A Polícia Civil deflagrou uma operação nesta quarta-feira (15), em São Paulo, a fim de desarticular uma quadrilha que chegou a criar um “call center” para conseguir ludibriar e furtar dinheiro de contas de clientes de bancos de todo o país.

De acordo com a corporação, a 4ª Delegacia de Crimes contra o Patrimônio do Departamento Estadual de Investigações Criminais (Deic) prendeu quatro mulheres durante a ação. Essas suspeitas, que têm entre 18 e 19 anos, serão indiciadas por estelionato e associação criminosa.

Em nota, a Polícia Civil detalhou que, para cometer o crime, as jovens criaram uma central clandestina. No local, que fica na Zona Norte de São Paulo, agentes da entidade encontraram celulares e cinco computadores.

As integrantes da quadrilha ligavam para os clientes das agências, de preferência idosos, para afirmar que compras suspeitas foram registradas nos cartões dessas pessoas.
Quatro jovens foram presas por conta do crime. (Foto: reprodução)

O golpe das criminosas

Segundo as investigações, as moças fingiam que eram atendentes do call center de bancos, ligando para clientes das agências, de preferência idosos, para afirmar que compras suspeitas foram registradas nos cartões dessas pessoas.

De acordo com as golpistas, para que a situação fosse de fato checada, a vítima teria que digitar a senha do cartão no celular. Com isso, revelou a Polícia Civil, as jovens, por conta de um programa de computador, identificavam os números e os repassam aos outros integrantes da quadrilha.

Em outros casos, o grupo enviava pessoas nas casas das vítimas e recolhiam o cartão que, de acordo com as golpistas, seria substituído por um novo. Todavia, na realidade, com o objeto, as suspeitas faziam saques de dinheiro em caixas eletrônicos e compras online.

Jovens tentavam passar credibilidade 

Conforme a polícia, para passar credibilidade, as jovens utilizavam até as músicas de espera dos respectivos bancos das vítimas. Agora, a corporação quer identificar o total de pessoas que caíram no golpe e também o quanto as suspeitas lucraram com o crime.

Por fim, o delegado Jacques Ejzenbaum, da 4ª Delegacia de Crimes contra o Patrimônio, responsável pelo caso, faz um alerta para que as pessoas redobrem a atenção em casos de ligações supostamente feitas por bancos.

“Cuidado com quem liga para vocês. Essa é uma quadrilha muito articulada, onde geralmente eles usam o telefone fixo. Então cuidado quando receberem ligação via telefone fixo”, disse.

Leia também: Polícia desarticula quadrilha especializada em aplicar golpe da casa própria no RJ

Veja Também:

Está "bombando" na Internet:

Acesse www.pensarcursos.com.br
Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.