Preços do boi gordo e do frango disparam no país até o 3º trimestre

Levantamento do Ipea revela que boi está 46,3% mais caro, enquanto frango tem alta de 44,2%; já preço da carne suína acumula avanço de 19,7%

0

Quem tem costume de ir ao supermercado comprar carne, já percebeu que os preços dos produtos ficam mais caros a cada mês. E o relatório “Mercados e Preços Agropecuários” do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) confirma isso e mostra o quanto estas proteínas subiram no ano.

A saber, o preço do boi gordo acumula alta de 46,3% entre janeiro e setembro deste ano. Já o valor do frango abatido (inteiro e resfriado) está com um avanço bastante semelhante, de 44,2%. Aliás, ambos os aumentos se referem aos valores pagos ao produtor. Inclusive, o produtor de carne suína também está recebendo mais (+19,7%), mas a alta é bem mais tímida que as outras.

Vale destacar que o Ipea divulgou os dados com base em indicadores do Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea-Esalq/USP).

Preço do boi gordo recua no trimestre

Embora o preço do boi gordo acumule uma forte valorização no ano, o resultado do terceiro trimestre ficou negativo. De acordo com o Ipea, a suspensão das importações de carne brasileira pela China fez o valor do boi recuar 0,8% entre julho e setembro.

“Diante do embargo chinês (seguido por Hong Kong) à carne bovina brasileira, não foram encontrados, pelo menos no mês de outubro e nas duas primeiras semanas de novembro, outras praças para colocação desse produto em volume minimamente próximo ao que vinha sendo enviado pelo Brasil nos meses anteriores”, explicou o Ipea.

A saber, a China compra quase metade de toda a carne que o Brasil envia ao exterior por ano. Aliás, o país continua com as importações suspensas, mas liberou a compra de lotes certificados antes do embargo.

O Ipea destaca que a seca prolongada e os altos preços dos grãos utilizados na ração animal impediram o aumento da oferta de boi no terceiro trimestre. E os preços devem continuar pressionados no início de 2022.

Frango dispara no trimestre, mas carne suína recua

Por sua vez, o preço do frango disparou 23,3% no terceiro trimestre de 2021 na comparação com o trimestre anterior. Isso ocorreu devido aos altos preços do boi gordo, que tornaram o frango uma opção mais barata, mesmo com o forte avanço acumulado no ano.

Além disso, o volume de frango exportado para o exterior cresceu 9,7% entre janeiro e outubro deste ano em relação ao mesmo período de 2020. Inclusive, a expectativa é que os preços sigam mais altos até o final do ano, época em que há mais procura por proteínas mais baratas.

Em contrapartida, o preço médio da carne suína no atacado caiu 3,2% entre julho e setembro na comparação com os três meses anteriores. Em síntese, tanto a demanda doméstica quanto as exportações caíram no período e ajudaram a reduzir os preços da proteína. Entretanto, a demanda deve crescer no quarto trimestre devido às festividades da época.

“No entanto, em 2021, esse movimento de alta pode ficar mais comedido frente aos anos anteriores, tendo em vista o enfraquecimento da demanda doméstica e a potencial queda nas exportações da proteína”, disse o Ipea.

Leia Mais: Conheça as ações do Ibovespa com os maiores ganhos em novembro

Avalie o Artigo:

Sucesso na Internet:

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.