Polícia Federal atua no combate a fraudes no auxílio emergencial; acompanhe a operação

As ações aconteceram em diversos estados

0

A Polícia Federal atua no combate a fraudes no auxílio emergencial. Dessa forma, nesta quinta-feira (22) cumpriu o total de 29 mandados de busca e apreensão, contra um grupo suspeito de fraudes na concessão do auxílio emergencial.

A operação foi batizada de “Animus Fraudandi”, expressão latina que significa “intenção de fraudar”, por remeter ao caráter fraudulento e intencional dos desvios de valores identificados no curso das investigações.

A atuação ocorreu na Bahia, Ceará, Maranhão, Mato Grosso, Pará e Santa Catarina, com a participação de aproximadamente 120 policiais federais. Como parte da operação, a Justiça autorizou o bloqueio de R$ 60 mil das contas dos alvos.

De acordo com as informações obtidas na investigação, os suspeitos usavam dados de cidadãos que tiveram o CPF vazado para solicitar o benefício na plataforma do governo federal. Feito isso, burlavam o sistema de segurança do aplicativo Caixa Tem para conseguir sacar o benefício.

Apreensão

Na casa dos suspeitos, a Polícia Federal apreendeu celulares que teriam sido utilizados para cometer os crimes, além de dinheiro supostamente obtido pelas fraudes. Ainda não se tem o valor exato do montante.

Os detidos responderão por furto qualificado pela fraude, organização criminosa e estelionato qualificado.

Combate às fraudes

Desde o começo da pandemia, a Polícia Federal já realizou 114 Operações Policiais para combater fraudes aos benefícios emergenciais.

Os trabalhos são resultantes de uma união de esforços denominada Estratégia Integrada de Atuação contra as Fraudes ao Auxílio Emergencial (EIAFAE), da qual participam a Polícia Federal, o Ministério Público Federal, o Ministério da Cidadania, a Caixa, a Receita Federal, a Controladoria-Geral da União e o Tribunal de Contas da União (TCU).

Ministro da Cidadania destaca a importância deste trabalho

Em entrevista concedida ao jornal A Voz do Brasil na semana passada, João Roma, Ministro da Cidadania, falou sobre o trabalho para apurar eventuais fraudes no programa, e garantir que o auxílio seja pago a quem realmente precisa.

Roma informou que se trata de um trabalho em conjunto que reúne vários órgãos: Ministério da Cidadania, Polícia Federal, Caixa Econômica Federal, Ministério Público Federal, Receita Federal, Controladoria Geral da União e Tribunal de Contas da União.

De acordo com ele esse trabalho integrado é essencial para combater com eficiência os criminosos que tentam fraudar o pagamento do auxílio emergencial.

Canais de denúncias do recebimento indevido do auxílio emergencial

Com a finalidade de combater as fraudes, o cidadão também pode colaborar denunciando irregularidades observadas. Para isso, o ministério oferece um canal para esclarecimento de dúvidas e também uma central telefônica para a população através do número 121. O serviço é gratuito e a ligação deve ser realizada por meio de um telefone fixo ou celular das 07h às 19h.

Além disso, existe um canal para receber denúncias através de formulário eletrônico da ouvidoria neste link.

Ainda mais, existe um canal para quem desejar enviar a denúncia por carta, para o seguinte endereço: SMAS – Setor de Múltiplas Atividades Sul Trecho 03, lote 01, Edifício The Union, térreo, sala 32 CEP: 70610-051 – Brasília/DF.

Veja ainda: Bolsa Família: Milhões de famílias ganham conta digital; veja detalhes

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.