PIS/Pasep: abono de até R$ 1.212 ainda pode ser sacado; saiba como

Mais de 481 mil trabalhadores ainda não sacaram o abono; prazo para resgate do valor chega ao fim em 29 de dezembro deste ano

0

O Ministério do Trabalho e Previdência revelou nesta semana que mais de 481 mil trabalhadores ainda não sacaram o PIS/Pasep 2022. O benefício é referente ao ano-base 2020, cujo pagamento em 2021 foi suspenso e adiado para 2022 devido aos impactos da pandemia da covid-19.

De acordo com o ministério, 481.765 trabalhadores ainda não haviam retirado o dinheiro até a quarta-feira (1º). O valor total destes benefícios chega a R$ 440 milhões. Do total de trabalhadores que ainda não sacaram o valor do benefício, 155,923 mil abonos correspondem ao PIS, enquanto 325,842 mil abonos são referentes ao Pasep.

A saber, os lotes do PIS começaram a ser liberados no país em 8 de fevereiro para os nascidos em janeiro. O pagamento do benefício seguiu até 31 de março para os nascidos em dezembro. A propósito, o PIS destina-se aos trabalhadores do setor privado e é pago pela Caixa Econômica Federal.

Já o Pasep, destinado a servidores públicos, foi pago de acordo com o algarismo final do número de identificação do trabalhador. Nesse caso, o Banco do Brasil realizou os pagamentos do abono.

Você também pode gostar: Saiba quando o PIS/Pasep de quem trabalhou em 2021 vai estar disponível

Veja quem tem direito ao PIS/Pasep

Muita gente vem sofrendo com a inflação e os juros elevados no país. Por isso, o abono salarial é uma grande oportunidade para equilibrar as contas e poder respirar um pouco mais aliviado. No entanto, ainda há muitos trabalhadores que não sacaram o benefício.

Nem todos os trabalhadores têm direito ao abono salarial. Em resumo, para poder sacar o benefício, os trabalhadores devem atender os seguintes requisitos:

  • Ter trabalhado por pelo menos 30 dias no ano de 2020;
  • Ter recebido, em média, até 2 salários mínimos por mês com carteira assinada;
  • Possuir inscrição no PIS ou Pasep há pelo menos 5 anos, contados até 2020;
  • Estar com os seus dados atualizados pelo empregador na Relação Anual de Informações Sociais (Rais) ou eSocial.

Estes requisitos permite ao trabalhador receber um valor entre R$ 101 e R$ 1.212, a depender da quantidade de meses trabalhados em 2020. Para saber quanto você vai receber, basta multiplicar R$ 101 pela quantidade de meses trabalhados.

Por exemplo, uma pessoa que trabalhou seis meses em 2020, cumprindo os requisitos citados, receberá R$ 606. Isso ocorrerá, pois o valor é proporcional ao tempo trabalhado em 2020. Caso o trabalhador tenha passado o ano inteiro empregado, receberá R$ 1.212.

Saiba como consultar o abono salarial

O trabalhador pode descobrir se tem direito ao benefício e qual valor receberá ao ligar para o telefone 158 ou acessar o aplicativo Carteira de Trabalho Digital.

No primeiro acesso ao sistema, o trabalhador deverá cadastrar o seu CPF para criar uma conta, definindo uma senha do gov.br. Em seguida, deve clicar em “Benefícios” e, então, em “Abono Salarial”. Dessa forma, descobrirá se tem direito ao benefício ou não.

Por fim, os trabalhadores podem sacar o valor até 29 de dezembro deste ano.

Leia também: Preços dos alimentos ‘na porta de fábrica’ sobem pelo 3º mês seguido

Avalie o Artigo:

Sucesso na Internet:

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.