Operação da PM culmina em cerca de 54 mil pés de maconha destruídos

Segundo a PM, os pés de maconha foram destruídos durante duas operações da entidade: uma em Floresta e outra em Inajá, cidades localizadas no Sertão pernambucano

0

A Polícia Militar (PM) revelou nesta terça-feira (20) que destruiu cerca de 54 mil pés de maconha e ainda apreendeu 65,9 kg da droga em Floresta e Inajá, cidades localizadas no Sertão pernambucano.

Em nota, a entidade revelou que o caso de Floresta aconteceu no domingo (18) e o de Inajá na segunda (19). Ainda segundo a PM, na primeira ocorrência, os policiais receberam informações de que havia uma plantação de maconha e, ao chegarem no local, encontraram cerca de 49 mil pés e 1,9 kg da droga.

Na ocasião, haviam dois suspeitos. Um deles conseguiu fugir e não foi localizado. Já o outro não teve a mesma habilidade para se desprender do cerco policial e acabou capturado.

maconha
Segundo a PM, os pés de maconha foram destruídos durante duas operações da entidade: uma em Floresta e outra em Inajá. (Foto: reprodução)

Segundo a PM, o acusado preso tem 50 anos e responderá pelo crime de tráfico de drogas, podendo pegar até 15 anos de prisão. Nesta terça (20), ele ainda aguarda a audiência de custódia.

Por outro lado, no segundo caso, registrado em Inajá, a Polícia Militar destruiu cerca de 5 mil pés de maconha. Não suficiente, os agentes também conseguiram realizar a apreensão de 64 kg da droga e dois litros de sementes do entorpecente.

“Ao chegar no local indicado, o efetivo encontrou a porteira da propriedade aberta e ninguém por perto, o que significa que souberam da movimentação e fugiram antes da aproximação das viaturas, se livrando do flagrante”, informou a PM.

Nesta última ocorrência, nenhuma pessoa foi presa. De acordo com a corporação, os agentes colheram uma amostra do cultivo e o material apreendido foi encaminhado para a Delegacia de Polícia Civil da cidade, para a tomada das medidas cabíveis.

Leia também: Atirador esportivo é procurado suspeito de falsificar documentos para vender armas a traficantes

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.