Opep anuncia aumento da produção de petróleo a partir de agosto

Elevação de 400 mil barris por dia deve se estender até o final de 2022 para reduzir os impactos provocados pela forte alta dos preços da commodity

0

A Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) e seus aliados informaram hoje (18) que elevaram suas produções de petróleo a partir de agosto. O acordo objetiva amenizar a situação mundial, que vem sofrendo com altos preços da commodity.

A saber, um dos principais motivos que está impulsionando os preços do petróleo é justamente a oferta limitada. No entanto, essa situação começará a mudar no próximo mês. De acordo com a Opep+, o acordo estabeleceu o aumento de 400 mil barris por dia até o final de 2022.

Vale ressaltar que as últimas semanas ficaram marcadas pela tensão entre países da Opep, que discordavam sobre as condições estabelecidas nos acordos. Isso até fez os preços do petróleo tombarem, evidenciando o medo do mercado com possíveis atuações individualistas. Contudo, no geral, a commodity vem ficando cada vez mais cara. E a decisão da Opep é uma luz no fim do túnel.

Confira mais detalhes do corte de produção da Opep+

Em resumo, os países da Opep+ vem adotando desde abril de 2020 uma postura de corte da produção de petróleo. A decisão foi tomada por causa da maior queda mensal da história dos preços da commodity, em março do ano passado, mês em que houve a decretação da pandemia da Covid-19.

De lá pra cá, a organização vem elevando gradativamente a produção, cujo corte acordado entre os membros foi de 10 milhões de barris por dia. Atualmente, os limites estão em cerca de 5,8 milhões de barris. E a Opep+ até parecia estar a caminho de mais elevações da produção, mas isso não havia acontecido até hoje.

Isso levou a uma briga intensa entre os Emirados Árabes, que queriam aumentar a sua produção de petróleo, e a Arábia Saudita, que apontava para a permanência da produção controlada. Além disso, os Emirados se opuseram a estender os cortes de produção até dezembro de 2022 no início deste mês. Entretanto, os países da Opep+ chegaram, enfim, a um acordo. E quem mais se beneficia com isso é o mercado.

Leia Mais: Produção nacional de petróleo recua 0,96% em junho, segundo ANP

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.