Ômicron no mundo: Quais os riscos para a economia?

Hoje nós vamos falar sobre a ômicron no mundo e como ela pode afetar a economia do mundo todo.

0

Hoje nós vamos falar sobre a ômicron no mundo e como ela pode afetar a economia do mundo todo. Muitos economistas estão alertando para os perigos que o avanço da nova variante tem no bolso das pessoas e consequentemente nas maiores economias globais.

Os especialistas têm muita dificuldade ainda em mostrar com todos os detalhes os impactos econômicos dos novos casos de covid. Por isso nesse artigo vamos falar tudo que sabemos até o momento.

Confira também: IGP-10 sobe em janeiro e acumula alta de 17,82% em 12 meses

Ômicron no mundo: Qual a maior preocupação?

O maior perigo é que a ômicron no mundo tem uma enorme facilidade em se espalhar. Dessa forma, alguns setores da economia vão sofrer com elevação dos preços considerando a lei de oferta e demanda, ou até uma quebra considerável em vários setores da economia, por exemplo, para os setores de espetáculos como teatros, apresentações e etc.

 É fácil de perceber que alguns podem quebrar justamente pela falta de demanda para essas atividades em momentos de picos na pandemia. Porém, nos setores de transporte de mercadoria pode ser que aconteça uma elevação nos preços, aumentando também o preço da mercadoria que está sendo levada. Consequentemente, um aumento também para as pessoas que vão consumir essas mercadorias.

Confira também: Preço do gás de cozinha tem leve queda na semana

Efeito cantillon: O inimigo invisível da economia!

Agora que já falamos da maior preocupação dos economistas, que é a inflação gerada por uma demanda não satisfeita, precisamos falar de outro grande problema, ele é o efeito cantillon que também gera um aumento de preços e afeta a população mais pobre.

O efeito cantillon mostra que imprimir mais dinheiro causa inflação e é isso que muitos países estão fazendo, principalmente o Brasil por conta do ômicron no mundo e razões políticas.

Basicamente ele funciona da seguinte maneira, o estado imprime mais dinheiro para pagar os seus custos, ele é o primeiro recebedor.

Digamos que um determinado país vá comprar armas com esse dinheiro a mais na economia. Dessa forma, a empresa se torna o segundo recebedor do dinheiro, isso é importante porque você vai ver que o mais pobre será o último recebedor.

Porém, digamos que a empresa pelo aumento de vendas, faça uma festa para comemorar. As pessoas da empresa vão ao supermercado (Terceiro recebedor) comprar novos produtos. Dessa forma, o supermercado ao perceber um aumento de vendas em determinados itens, decide aumentar seu preço para aumentar seus lucros. Isso é natural tanto para uma grande empresa como um supermercado ou para um trabalhador que pede um aumento.

 Dessa forma, a próxima pessoa que for comprar os mesmos itens vai pagar mais caro, às vezes poucos centavos de diferença, mas vai e todos nós sabemos o quanto faz diferença esses centavos na hora de ir ao supermercado.

 A última pessoa que teoricamente vai ao supermercado é o mais pobre, dessa forma, ele paga uma espécie de imposto inflacionário. 

Confira também: PIB do Reino Unido supera nível pré-pandemia em novembro

Ômicron no mundo: Conclusão

Dessa forma, a conclusão a que chegamos é que a ômicron no mundo é sim um dos maiores perigos para a economia caminhando em passos tímidos no momento.

 Entretanto, não podemos esquecer que alguns países estão adotando práticas que podem beneficiar no momento, mas compromete o mais pobre agora e no futuro.

 Gostou do nosso artigo sobre Ômicron no mundo e quais os riscos para a economia? Comente abaixo sua opinião e se ficou alguma dúvida.

Avalie o Artigo:

Sucesso na Internet:

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.