Não é necessário se conciliar com a vida antes da pandemia

Com a pandemia controlada, muitas pessoas ainda têm dificuldade para se socializar.

0

Sabia que não é necessário fazer as pazes com a vida antes da pandemia? Muitas pessoas não estão empolgadas com as comemorações rotineiras. Um exemplo disso é o Carnaval, onde muitos foliões estão dando preferência para a saúde. De acordo com vários terapeutas, depois de quase dois anos em isolamento social, muitos brasileiros sentem dificuldade de se socializar.

Segundo um psicanalista da Universidade de São Paulo, USP, o ser humano passou a maioria do tempo próxima à pessoas extremamente próximas. Dessa forma, era possível se apresentar triste, chorando, ansioso, descabelado e sem maquiagem. Portanto, rever pessoas distantes exige uma apresentação mais formal, com uma produção maior. Sendo assim, sair de casa tornou-se o novo desafio.

vida antes da pandemia
Imagem: Reprodução/Freepick

Mas para voltar “ao normal” não é necessário viver a vida antes da pandemia. É preciso retomar as atividades profissionais, sociais, porém, convívio social pode ser feito com moderação.

Como retomar a rotina sem viver a vida de antes da pandemia?

A pandemia obrigou grande parte das pessoas a se isolar em casa. Agora, muitas começam a sair, mas têm dificuldade em retomar o contato com quem não era bastante próximo. Esse processo foi um convite para que as pessoas selecionassem e revisassem as suas relações sociais e laborais.

Nos Estados Unidos, 4 milhões de pessoas pediram demissão. Quando passa um tempo, é possível notar que muitas pessoas não fazem tanta falta assim. Outras, pelo contrário, que se via menos, passam a crescer dentro da avaliação subjetiva. Para quem ficou estritamente em casa e usou máscara, ver aquele vizinho que era legal saindo o tempo todo  gerou uma raiva.

Quando uma pessoa sai e reencontra, há muitas vezes decepção porque muitas pessoas com as quais o contato foi restrito se transformaram. Mas também há uma síndrome da caverna: sair de casa depois de tanto tempo não permite que uma pessoa se porte da mesma maneira, as coisas não acontecem no mesmo tempo.

Por que as pessoas estão mais introspectivas?

É possível ver aquelas pessoas para as quais a pandemia fez bem. Afinal, ela se recolheu e está melhor, não precisa sair todo dia para se vestir, fazer a cara alegre falsa para o chefe. Essa pessoa foi para a introspecção porque a realidade colaborou para seu modo de sofrimento.

O segundo tipo de introspectivo está fugindo e com medo do outro. Portanto, é aquela pessoa de classe média, que não precisa enfrentar um ônibus, que se viu em seu território doméstico. Ou seja, aquela pessoa que se isolou em casa pode ser considerada a mais introspectiva.

É importante retomar o convívio social?

De acordo com muitos especialistas, há pessoas que estão olhando para a sua vida antes da pandemia e dizendo: quero outra coisa. Afinal, muitos mudaram de bairro, cidade ou trabalho. Portanto, houve coragem para recomeçar em meio ao incerto.

Entretanto, há pessoas que querem voltar para outro mundo, mas ainda não possuem recursos. Portanto, ficam onde estão. Por isso, é importante lembrar que o convívio social é possível ser retomado, mesmo que não seja preciso fazer as pazes com a vida antes da pandemia.

As dificuldade de retomar para a vida antes da pandemia

Para quem tem dificuldades para retomar a vida antes da pandemia, o diálogo com pessoas próximas é uma das soluções dadas pelos especialistas. Por exemplo, frequente lugares que visitada antigamente, mesmo sem a turma antiga. Isso pode ajudar na ressocialização.  A vida antes da pandemia pode ser recriada.

 

Avalie o Artigo:

Está "bombando" na Internet:

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.