Mitos e verdades sobre hipotireoidismo

0

A princípio, o hipotireoidismo é uma disfunção na tireoide (glândula que regula importantes órgãos do organismo), que se caracteriza pela queda na produção dos hormônios T3 (triiodotironina) e T4 (tiroxina). É mais comum em mulheres, mas pode acometer qualquer pessoa, independente de gênero ou idade, até mesmo recém-nascidos – o chamado hipotireoidismo congênito.

Além disso, o hipotireoidismo é uma doença bastante conhecida de forma geral. Até por esse motivo, muitos mitos surgem e acabam confundindo os pacientes que apresentam os sintomas ou estão passando por algum tipo de tratamento. ⠀

Sintomas do hipotireoidismo

Depressão
Desaceleração dos batimentos cardíacos
Intestino preso
Menstruação irregular
Diminuição da memória
Cansaço excessivo
Dores musculares
Sonolência excessiva
Pele seca
Queda de cabelo

Mitos e verdades sobre a doença

  • Primeiramente, somente mulheres apresentam hipotireoidismo? Mito. Os homens também podem ter hipotireoidismo. ⠀
  • Crianças não têm hipotireoidismo? Mito. Pelo contrário, crianças podem, sim, ter a doença, que pode inclusive afetar o desenvolvimento. ⠀
  • A gravidez pode ser afetada pela doença? Verdade. Se não tratada, inclusive, pode se associar a complicações da gestação e a problemas para o feto.⠀
  • O metabolismo fica mais lento em pessoas com hipotireoidismo? Verdade. O organismo gasta menos energia, além de reter mais sal e água, provocando o inchaço.⠀
  • Por fim, a obesidade pode ser causada pelo hipotireoidismo? Meia Verdade. Por uma questão de lógica, com a diminuição do metabolismo basal, há um ganho de peso, talvez muito, talvez pouco, mas há. Porém, o grande aumento do peso se dá a alterações nos eletrólitos (sódio) gerando edema. Além disso, existem muitos pacientes magros.

Tratamento

O que caracteriza o hipotireoidismo é a produção insuficiente de hormônios T3 e T4. Nesse sentido, quando se fala sobre hormônios sintéticos, como a levotiroxina, o que entra em pauta é a baixa conversão de T4 para T3 e a falta da reposição de T3, uma vez que esse medicamento repõe apenas T4 – que, por falta de receptores, não é mais considerado um hormônio, e sim um pré-hormônio.

Quando o tratamento é feito apenas com a levotiroxina sódica, os exames vêm dentro dos níveis de referência mas o paciente ainda apresenta os mesmos sintomas: cansaço, cabelo e unhas fracas, desânimo, ganho de peso e consequentemente, a dose deste medicamento é aumentada. Infelizmente essa é a realidade de pacientes com hipotireoidismo, são tratados com hormônio sintético, com péssimo efeito terapêutico.⠀

Além da tireoide não produzir hormônio sintético, levotiroxina sódica é apenas T4, porém, sua tireoide não produz apenas T4, 20% de T3 (triiodotironina) também é produzido por ela, só que essa reposição não é feita.

Outro ponto importante, 80% do T3 vem da conversão tecidual de T4, porém o T4 sintético tem baixo potencial de conversão. Então, juntando esses dois problemas, T3 fica sempre baixo, deixando o paciente sempre sintomático (queda de cabelo, unha fraca, fadiga, dificuldade em emagrecer…). Sendo “necessário” dosagens cavalares que não resolvem nada.

Nesse sentido, o tratamento deve ser feito com T4 e T3 isomolucular, ou seja, hormônio semelhante ao que o corpo produz, avaliando a individualidade da dosagem em consulta médica!

Então, se você apresenta sintomas da doença, procure o seu médico de confiança para avaliar o melhor tratamento.

Por fim, veja também: Hipotireoidismo: quais alimentos são essenciais?

Leia Também:

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.