Masculinidade tóxica: o que é e características

1

Com certeza você já deve ter ouvido falar sobre o termo masculinidade tóxica. Em suma, nada mais são que características masculinas que são impostas pela sociedade. Dessa forma, elas são nocivas tanto para os homens quanto para as mulheres.

Sabe aquela frase tão famosa que todos já dissemos uma vez na vida? “Homem de verdade…” Geralmente os preceitos começam desta forma e que podem abalar toda uma vida com ansiedade e depressão.

Por exemplo, muitos adolescentes começam a vida sexual com medo do que outras mulheres podem pensar sobre o órgão sexual e o tamanho. Isso pode desenvolver impotência sexual e até mesmo ejaculação precoce. O sexo masculino não é uma máquina, não precisa agir como uma durante as relações sexuais. É totalmente compreensível brochar ou não conseguir ter uma ereção satisfatória.

O tema de masculinidade tóxica também está relacionado à pautas feministas. O feminismo não luta apenas para acabar com os mitos relacionados ao corpo da mulher. O movimento vai muito além disso e busca exterminar o machismo que também faz muito mal aos homens.

Existem ainda outros mitos que devem ser citados com o decorrer do artigo. Portanto, se quiser saber mais, basta continuar a leitura!

Mitos sobre a masculinidade tóxica

Nós do Brasil 123 citamos uma lista dos principais mitos sobre a masculinidade tóxica e que devem ser extintos agora mesmo, observe:

  1.  Homem deve ser agressivo sempre para não se parecer com uma mulher;
  2. Não pode demonstrar tristeza, medo ou ansiedade para não perder a masculinidade;
  3. Deve gostar de coisas como sexo, futebol e carros;
  4. Não deve ser uma pessoa delicada um muito paciente;
  5. Pode ter várias mulheres e ser o garanhão;
  6. Deve sustentar a casa sozinho enquanto a mulher cuida dos filhos e faz faxina;
  7. Não é dever dele limpar o que suja.

A masculinidade tóxica existe e deve acabar e a prova disso está no número de homens que cometem suicídio. Em vez de pedir ajuda, preferem permanecer em silêncio para que não sejam julgados perante a sociedade atual. Os casos de suicídios predominam entre o sexo masculino com o número de 76%.

A predominância é entre os jovens porque são mais impulsivos aos sentidos e sentimentos. É um grupo mais suscetível à influências externas como publicações em redes sociais ou fóruns na internet.

Outro aspecto relevante é que se deve à masculinidade tóxica uma boa parte dos relacionamentos abusivos existentes na atualidade. A sobrecarga da mulher também está inclusa, já que muitas vezes deve cuidar sozinha das crianças enquanto os pais não contribuem.

Avalie o Artigo:

Sucesso na Internet:

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.