Lula diz que Bolsonaro estimula o ódio e que a campanha deste ano será a ‘mais incivilizada’

Lula diz que com Bolsonaro tudo é mais difícil, pois o atual chefe do Executivo está rodeado de “milicianos" em quase todo território nacional

0

Luiz Inácio Lula da Silva (PT), ex-presidente da república, afirmou nesta quarta-feira (04) que o atual chefe do Executivo, Jair Bolsonaro (PL), estimula seus apoiadores ao “ódio” e à “provocação” e que a eleição deste ano será a “mais incivilizada”.

As declarações de Lula aconteceram durante uma entrevista à rádio “CBN”. Na ocasião, o petista foi perguntado se, para ele, a campanha deste ano será “muito mais difícil” que a de 2002, quando ele foi eleito presidente derrotando José Serra (PSDB) no segundo turno.

“É uma campanha mais incivilizada do que as outras porque as outras eram campanhas civilizadas em que você tinha disputa, você tinha briga com os adversários, mas era uma coisa dentro do campo da política. Era uma coisa muito civilizada”, disse o petista, completando que, na época, após um ato político, era possível “se encontrar em qualquer lugar e conversar como adversários, se respeitando”.

Agora, de acordo com Lula, com Bolsonaro, é tudo mais difícil, pois o atual chefe do Executivo está rodeado pelo que o petista chamou de “milicianos em quase todo território nacional”.

“Ele gosta de estimular o ódio, gosta de estimular a briga, gosta de estimular a provocação, o que não faz parte do nosso diário na política. […] Mas eu estou convencido de que nós vamos fazer uma campanha no nível muito alto”, afirmou.

Hoje, Lula e Bolsonaro travam uma disputa particular em torno da briga pela cadeira do Palácio do Planalto. De acordo com a última pesquisa do Datafolha, divulgada em março deste ano, Lula está em primeiro lugar com 43% das intenções de voto. Atrás dele está Bolsonaro, com 26%.

Lula comenta aliança com Alckmin

Ainda na entrevista, Lula foi perguntado sobre a aliança com o ex-governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSD). De acordo com Lula, a “representativade” e experiência de Alckmin é “muito importante” porque o ex-governador o ajudará a dialogar com setores que atualmente não votam no PT.

“Nós temos que levar em conta e respeitar o homem que governou o estado de São Paulo por mais de 20 anos. Ele foi duas vezes vice do Mário Covas, foi governador […] Eu acho que uma pessoa que foi eleita como ele foi eleito e ganhou todas as vezes, inclusive do meu partido, eu acho que temos que respeitar”, disse Lula, completando que o PT respeita todos aqueles que votaram em Alckmin e agora quer que essas pessoas se juntem ao Partido dos Trabalhadores.

Leia também: Lula compara Arthur Lira, presidente da Câmara, a imperador do Japão; entenda

Avalie o Artigo:

Sucesso na Internet:

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.