Lucro líquido da Natura &Co despenca 28,5% no terceiro trimestre

Receita da companhia recua 4,2% e totaliza R$ 9,5 bilhões no período; desempenho em 2020 mais forte que o esperado dificulta a comparação

0

A Natura &Co encerrou o terceiro trimestre deste ano com um lucro líquido de R$ 272,9 milhões. Esse valor corresponde a uma queda de 28,5% na comparação com o mesmo período de 2020. A saber, a Natura &Co é dona das marcas Natura, Avon, The Body Shop e Aesop avançou 24,3%, chegando a R$ 12 bilhões.

De acordo com a empresa, a receita consolidada totalizou R$ 9,5 bilhões entre julho e setembro, queda de 4,2% na base anual. Por falar nisso, o presidente da companhia, Roberto Marques, afirmou que o desempenho do grupo em 2020 veio acima do esperado. Assim, a base comparativa anual ficou mais fortalecida e mais dura para os números de 2021.

“No ano passado acabamos reportando um crescimento de mais de 25%, então tinha realmente uma base inflada e, diferentemente dos nossos competidores, nós fomos muito bem em 2020. Mas se olharmos os números do terceiro trimestre deste ano contra 2019, ainda temos crescimento de 21%”, ressaltou Marques.

Com o acréscimo do resultado trimestral, a receita da companhia está 14% maior que o montante registrado no mesmo período de 2020. Em resumo, a receita chegou a R$ 28,5 bilhões, enquanto o lucro líquido atingiu R$ 352,6 milhões, contra um prejuízo de R$ 827,6 milhões no mesmo período do ano passado.

Veja mais detalhes do desempenho da Natura &Co no trimestre

Segundo Marques, as vendas da Avon cresceram 10,7% entre janeiro e setembro, primeiro avanço em seis anos. “Começamos a ver que tem aí um ponto de inflexão. Não está, obviamente, onde queremos chegar, mas já há sinais positivos”, explicou.

Apesar dos dados positivos, o executivo afirma que o momento ainda é de dificuldades. “Temos enfrentado desafios da cadeia global de suprimentos, com falta de insumos e pressão de custos. Isso não deve melhorar até meados do ano que vem”, disse Marques.

Com o avanço da vacinação contra a Covid-19, o executivo acredita que o aumento da circulação de pessoas irá melhorar o desempenho de categorias fortemente afetadas na pandemia, como a maquiagem.

Por fim, Marques afirmou que o objetivo é promover a venda cruzada entra a Natura e a Avon, que possuem nível maior de produtividade. De acordo com ele, a Avon tem uma penetração maior nos lares brasileiros do que a própria Natura devido aos preços mais acessíveis.

Leia Mais: BNDES registra lucro de R$ 11,3 bilhões no terceiro trimestre

Avalie o Artigo:

Sucesso na Internet:

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.