Johnny Depp nega agressões a Amber Heard; atriz o acusa de abuso e ‘vingança pessoal’

O julgamento se tornou um dos maiores eventos de mídia de 2022

0

O julgamento de difamação de Johnny Depp contra Amber Heard, que começou no dia 11 de abril deste ano, no tribunal do Condado de Fairfax na Virgínia, nos Estados Unidos, segue a repercutir nas redes sociais. Na tarde da última terça-feira (19), foi a vez do ator testemunhar.

Xuxa garante que não negou tirar foto com fã bolsominion

Em depoimento, o astro da franquia ‘Piratas do Caribe’ nega ter agredido a ex-esposa ou qualquer outra mulher em sua vida. Para ele, as acusações são falsas e uma maneira que Amber teria encontrado de acabar com sua carreira em Hollywood: “Elas não se basearam em nenhuma espécie de verdade. Eu mesmo nunca cheguei ao ponto de bater na Sra. Heard de forma alguma, nem nunca bati em qualquer mulher na minha vida”.

“Como eu sabia que não havia verdade nisso, senti que era minha responsabilidade me defender não apenas por mim, mas também por meus filhos, que na época tinham 14 e 16 anos. Meu objetivo é a verdade. Eu não merecia isso, nem meus filhos, nem as pessoas que acreditaram em mim por todos esses anos”, continuou Johnny, para se defender perante aos filhos Lily e Jack Depp, de 22 e 20 anos, respectivamente.

Em 2018, Amber escreveu uma matéria para o jornal ‘Washington Post’ falando sobre como era sobreviver à um relacionamento abusivo. A atriz, que está em ‘Aquaman’, nunca mencionou Depp, mas ele abriu um processo pedindo US$ 50 milhões. Ele perdeu o julgamento na Inglaterra em 2020 e agora segue com esse recurso.

Amber Heard continua a afirmar que sofreu agressões e abusos no casamento

Durante o julgamento, a advogada de Amber Heard, Elaine Bredehoft, pontuou que a atriz sofreu diversas agressões no casamento e teria, inclusive, sido abusada sexualmente com uma garrafa de vinho. Para a defesa da atriz, os julgamentos são uma forma que Depp encontrou para ‘acabar com a carreira da ex” – uma forma de vingança pessoal.

A primeira testemunha a depor foi Christi Dembrowsk, irmã de Johnny Depp, que revelou que os dois cresceram em um lar com uma mãe abusiva. Quando era criança, a reação do ator era chorar e se esconder. Ela confirma que nunca viu qualquer briga ou discussão entre os dois, mas que Amber tinha uma “personalidade forte”.

Christi é interrogada pelos advogados de Amber, afirmando não “saber” que o irmão utilizava drogas e bebidas, mas é confrontada com uma mensagem que enviou para o astro, no qual pedia: “Pare de beber. Pare com a cocaína. Pare com as drogas”. Ela afirmou que não sabia do contexto das mensagens.

Na sequência, Isaac Baruch, amigo de Johnny é chamado para defendê-lo, assim como Kate James, ex-assistente de Amber, além da ex-psicóloga da atriz. O processo continua e ainda não tem definição de encerramento.

Veja também: Rafa Kalimann faz tatuagem no bumbum: “Me deu uma louca”

5/5 - (1 vote)

Sucesso na Internet:

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.