Itaú demite funcionários que solicitaram auxílio emergencial

De acordo com informações do próprio banco, cerca de 50 profissionais foram demitidos pela prática irregular de pedir o auxílio

0

O Banco Itaú decidiu demitir cerca de 50 dos seus funcionários nesta semana. O motivo: eles fizeram solicitações para receber o Auxílio Emergencial do Governo Federal em 2020. O banco disse que a prática “feriu a ética da empresa”.

Pelas regras do auxílio do Governo, quem tinha vínculo de emprego não poderia fazer a solicitação do auxílio. Isso porque se entendia que essas pessoas não precisavam do auxílio emergencial naquele momento da pandemia.

Ainda de acordo com as regras gerais, o programa servia para amparar justamente as pessoas que não estavam conseguindo trabalhar naquele momento. É claro que existiam uma série de outras regras. Mas a principal era essa mesmo.

Então por essa linha de pensamento, funcionários de banco não teriam o direito de solicitar o auxílio em questão. Logo, os profissionais do Banco Itaú não poderiam fazer isso. Foi justamente por esse motivo que o banco decidiu demiti-los.

De acordo com o Banco, a equipe diretora realizou um grande processo de investigação antes de tomar essa decisão. Seja como for, eles chegaram na conclusão de que não poderiam continuar com esses 50 trabalhadores.

Auxílio no Banco Itaú

Em nota, o Itaú falou que preza pela ética no trabalho. “A ética é um valor fundamental, que deve ser cultivado não apenas nas decisões do banco, mas também dos seus colaboradores, que são orientados e treinados de forma recorrente sobre o tema”, diz a nota.

O Auxílio Emergencial do Governo, aliás, deve voltar já nas próximas semanas. Dessa vez o programa deve pagar quatro parcelas no valor de R$250. Seja como for, ainda não há uma data para o início desse pagamento.

Leia Também:

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.