Itaipava processa Alok em R$17 milhões após DJ tocar em camarote da Brahma

Alok se pronunciou sobre o processo para o colunista Léo Dias

0

O Grupo Petrópolis, dona da cerveja Itaipava, entrou com um processo no valor de R$17 milhões após quebra de contrato do DJ Alok. De acordo com exclusiva do colunista Léo Dias, nesta terça-feira (21), o músico é garoto propaganda da cerveja Black Princess, que pertence à marca, mas mesmo assim tocou no camarote Nº1, no Carnaval deste ano, patrocinado pela Brahma.

Tierry vive affair com dançarina do ‘Dança dos Famosos’, Carla Bruno, afirma colunista

Durante sua apresentação no espaço, Alok tirou fotos e postou no Instagram, mas fez questão de tirar a marca da Brahma de sua camiseta. Apesar disso, ele foi advertido pelo Grupo por manter o logotipo da concorrência em suas costas. O DJ se recusou a deletar a foto e pediu para ser apenas representante da marca de energéticos do conglomerado – o que foi negado.

O vínculo entre Alok e a empresa é de R$20 milhões, com duração de cinco anos, mas metade do valor já foi pago. Agora, o grupo pede o montante de volta e mais a multa. Em contrato firmado por ambas as partes, o artista ficava proibido de utilizar marcas concorrentes em “vestuários, abadás, calçados, bolsas, malas e demais acessórios em público”.

O Grupo Petrópolis, por sua vez, também exigia exclusividade na imagem e voz do marido de Romana Novais, além de proibir a sua “associação de sua imagem a qualquer publicidade de produto ou marca concorrente, por exemplo: publicidade de marca concorrente em camarim”.

DJ Alok se pronuncia após processo

O DJ Alok, em pronunciamento exclusivo para o colunista Léo Dias no Instagram, rebateu as informações nesta terça-feira (21): “Antes de fecharmos o contrato, eles já haviam sido informados que sou contratado todos os anos para me apresentar no camarote N1. Eu não posso deixar de exercer minha principal profissão, que é o show, independente de ter outra cerveja como patrocinadora”.

Em nota oficial, a equipe do DJ reitera: “Durante toda a construção do instrumento que rege a relação entre as PARTES, foi informado à CONTRATANTE a existência de eventos e festivais onde o ANUENTE já exercia e continuaria a exercer sua principal atividade artística, que é de DJ, patrocinados por outras marcas”.

“Ocorre que todas as tratativas da relação existente entre as partes foram construídas por uma diretoria que assumiu o grupo Petrópolis durante a ausência de Walter Faria, presidente e fundador da empresa, sendo que quando houve o retorno deste à direção da empresa, ocorreram algumas mudanças de direcionamento de marketing do grupo”, finalizou a nota, afirmando que existem exceções ao contrato como os shows: o Rodeio de Jaguariúna, a Festa do Peão de Barretos, o Camarote N1, Rock in Rio e o Grande Prêmio do Brasil de Fórmula 1.

 

Veja também: Neymar tranquiliza fãs após pouso de emergência em Roraima: “Só um susto”

Avalie o Artigo:

Sucesso na Internet:

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.