Grito dos Excluídos: contra preconceito, por trabalho e moradia

Atos aconteceram em Brasília, São Paulo e Rio de Janeiro. Manifestações foram pacíficas. Confira como foi!

0

Aconteceu hoje (07/09), a  26ª edição do Grito dos Excluídos. O evento contou, por exemplo, com representantes de partidos de oposição ao governo federal e de movimentos indígenas. Além disso, de movimentos negros, feministas e LGBT no centro de Brasília e pelo país. Saiba mais!

 

Grito dos Excluídos em Brasília e no país. Veja!

O tema da ação, neste ano, foi “Basta de Miséria, Preconteito e Repressão! Queremos Trabalho, Terra, Teto e Participação”. Um dos atos aconteceu pela manhã deste feriado (07/09), no canteiro central da Esplanada dos Ministérios, em Brasília.

Além disso, na ocasião, os manifestantes inflaram um boneco do presidente Jair Bolsonaro. Também, um grupo de mulheres deram as mãos com tinta vermelha, no Grito dos Excluídos. O gesto visou chamar a atenção para denunciar a violência de gênero.

Enquanto isso, outro grupo usava máscaras de ratos. O protesto foi contra a corrupção. Manifestantes desse grupo simbolizaram o poder público tentando rasgar a Constituição.

Um jovem, por exemplo, interpretou um Cristo negro. O personagem de Jesus Cristo apareceu  cravejado de balas, como forma de denunciar a violência urbana.

Apoiadores de Bolsonaro

Depois, um pequeno grupo de apoiadores de Bolsonaro se concentrou em frente ao Museu Nacional da República. Isto, depois que os atos do Grito dos Excluídos se encerraram.

Assim, os apoiadores do presidente Bolsonaro marcharam até a Praça dos Três Poderes. A Polícia Militar revistou os manifestantes, a fim de orientar o uso de máscaras. De acordo com a Agência Brasil, suportes de madeira e metal foram confiscados.

Conforme a organização, o Grito dos Excluídos reuniu cerca de 200 pessoas, em Brasília. A Polícia Militar, no entanto, não estimou o número de participantes.

 

São Paulo

Houve manifestação do Grito dos Excluídos na capital de São Paulo, também. A Central dos Movimentos Populares organizou os atos.

Grupos se concentraram próximo à Avenida Paulista. A manifestação foi das 10h às 13h. De acordo com a Polícia Militar, não foram registradas ocorrências, assim, a manifestação foi pacífica.

 

 

Rio de Janeiro

Já na cidade do Rio de Janeiro, a movimentação foi em forma de uma passeata. No caso, os manifestantes do Grito dos Excluídos seguiram por algumas avenidas importantes do centro.

O ato também criticou o presidente Jair Bolsonaro.

Em seguida, um ato ocorreu no início da noite, às 19h. O trabalho do artista Brunner surgiu em uma fachada, no Largo da Carioca.

O artista foi convidado para participar do Grito dos Excluídos, a convite do Serviço Franciscano de Solidariedade (Sefras). “Porque seu trabalho mantém uma forte conexão com questões de política e cidadania.”, pronunciou-se o Sefras.

 

 

No Brasil

Atos ocorreram também em cidades como Campinas (SP), Recife (PE), Salvador (BA). Além disso, em mais de 100 cidades do país. Veja aqui: https://www.gritodosexcluidos.com/

 

 

Com informações da Agência Brasil 

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.