Gabriela Pugliesi reclama de ‘briga de ego’ após críticas

Influencer fez um post no Instagram para falar seu ponto de vista.

0
Gabriela Pugliesi reclama
Reprodução: Instagram

Nos Stories do Instagram, Gabriela Pugliesi reclama de ‘briga de ego’ e aponta que nem todos os influenciadores que pedem ajuda para a Bahia estão, de fato, fazendo algo positivo. A influencer também queixa-se das críticas que recebeu nesses últimos dias por ‘seguir com suas vidas’.

Gabriela Pugliesi reclama da ‘guerra de ego’ na internet

A influencer, que está com Covid-19 pela segunda vez, desabafou: “Por que cada um não faz o seu e se ajuda? Isso me deixa tão para baixo às vezes. Ver que nenhuma coisa que é falada ou feita é genuína. É sempre para acharem algo de você, que na verdade você nem é”, começa. Depois, ela lamenta que as pessoas tenham base apenas pelo que acompanham nas redes sociais. “Não é porque a pessoa está vivendo a vida ou viajando hoje que ela não está nem aí para as coisas que estão acontecendo. Inclusive, pode ser que ela tenha feito mais do que muita gente”, afirma.

Por fim, Pugliesi aconselha: “Faça o seu sem falar do outro, sem incitar ódio, sem alimentar seu ego. Eu também trabalho isso em mim. De me importar muito mais com a minha consciência do que com o que os outros pensam”, aponta.

Gabriela Pugliesi reclama
Reprodução: Instagram

 

Críticas

O desabafo de Pugliesi foi feito após a influencer receber diversas críticas durante as fortes chuvas que atingem a Bahia. Na ocasião, a namorada do Túlio Dek reclamou que a chuva estragaria seu penteado e aproveitou para fazer uma ‘publi’ de uma empresa de táxi aéreo que a ajudou a deixar o estado. A atitude não foi bem vista pelos internautas, já que 77 mil pessoas precisaram deixar suas casas e 34.163 delas estão desabrigadas e precisam de assistência do governo para uma moradia temporária. Outros famosos, como Lorena Improta, Virgínia Fonseca, Wesley Safadão e Camilla de Lucas se mobilizaram para arrecadar doações.

Na época da polêmica, Gábi garantiu que a publicidade já estava agendada antes da tragédia. “Realmente tive que voltar para São Paulo porque tenho responsabilidades para cumprir como profissional. Eu não ‘abandonei’ a Bahia e jamais sobrevoaria locais afetados pelas fortes chuvas para promover uma empresa de táxi aéreo, como foi disseminado de forma maldosa e equivocada”, justificou.

Avalie o Artigo:

Sucesso na Internet:

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.