Flávio Bolsonaro diz que ‘quem recebe R$ 400 de Auxílio Brasil não passa fome’

"Quem recebe 400 reais por mês de Auxílio Brasil pode ter dificuldade, mas fome não passa”, disse Flávio Bolsonaro

0

Flávio Bolsonaro (PL), senador e filho do presidente da República, Jair Bolsonaro (PL), contestou dados divulgados pela Vigisan, que realizou uma pesquisa onde mostrou a disparada no número de pessoas que passam fome no Brasil. Segundo o senador, em entrevista ao canal “CNN Brasil”, as famílias beneficiárias do Auxílio Brasil, com valor mensal de R$ 400, podem passar por dificuldades, mas isso não significa que elas não estão tendo o comer.

Filhos de Bolsonaro disputam poder na comunicação da pré-campanha do pai

“Quem recebe 400 reais por mês de Auxílio Brasil pode ter dificuldade, mas fome não passa”, disse ele, lembrando que Bolsonaro “zerou os impostos federais” sobre alimentos como arroz e feijão, e está fazendo tudo o que “está ao alcance dele”. “Agora, mais uma vez, óbvio que tem pessoas que passam dificuldade, mas talvez por não conseguirem ter ainda acesso a um programa social do governo que, sem dúvida alguma, ampararia essas pessoas, né?”, adicionou o senador.

Em outro momento, Flávio Bolsonaro disse que R$ 400 por mês é suficiente para “a pessoa não passar necessidade”. Além disso, ele disse que, para aumentar esse valor, será preciso “fazer uma conta de quanto o Estado aguenta” e ver até que ponto esse reajuste não poderia “desestimular a pessoa a buscar emprego formal”.

“Se você coloca valor de R$ 2 mil, por exemplo, a pessoa não vai querer trabalhar”, disse o senador, destacando que cálculos feitos pela equipe econômica do ministro Paulo Guedes mostraram que será sim possível reajustar o valor pago atualmente no Auxílio Brasil, um programa criado para substituir o Bolsa Família.

Fome no Brasil

Segundo a pesquisa do Vigisan, hoje, 33,1 milhões de brasileiros passam fome. Em 2020, quando o levantamento foi feito pela primeira vez, eram 19 milhões de pessoas com fome no Brasil. Ainda de acordo com o levantamento, levando como base os dados da pesquisa feita neste ano, constatou-se que mais da metade (58,7%) da população brasileira convive com insegurança alimentar em algum grau, o que significa 125,2 milhões de brasileiros.

Leia também: Aliados dizem que além da inflação, falhas na comunicação afetam Bolsonaro

Avalie o Artigo:

Sucesso na Internet:

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.