Faturamento no comércio eletrônico cresce na Black Friday

Embora tenha registrado crescimento de 5,8% no faturamento, data tem menos números de pedidos em relação a 2020

0

O comércio eletrônico movimentou R$ 5,419 bilhões na Black Friday de 2021. Isso representa um crescimento de 5,8% do faturamento na comparação com o ano passado. Pelo menos é o que apontam os dados divulgados pela Neotrust.

Por outro lado, o número de pedidos entre as 48h de Black Friday atingiu um volume de 7,6 milhões neste ano. Esse valor corresponde a uma queda de 0,5% em realação ao mesmo período de 2020. Aliás, a Neotrust fez o levantamento com base no número total de compras realizadas pelo e-commerce, entre a 0h de quinta-feira (25) e as 23h59 de sexta-feira (26).

“Esse faturamento foi abaixo do que estávamos projetando. Teve performance abaixo do que foi a quinta-feira, que teve crescimento de 10%. Em número de pedidos, na sexta-feira, tivemos 5,2 milhões de pedidos. Isso representa 2,4% abaixo do que tivemos em 2020. O pico de vendas ocorreu entre 10h e 14h de sexta-feira”, disse a head de Inteligência da Neotrust, Paulina Gonçalves Dias.

Vale destacar que, desde o início da pandemia da Covid-19, com a redução expressiva na circulação das pessoas nas ruas, o e-commerce vem disparando. A saber, a taxa disparou para 46,2% desde o começo da crise sanitária, segundo um levantamento considerando notas fiscais eletrônicas computadas pela Receita Federal. Antes da pandemia, a taxa anual de crescimento era de 14,1%.

Valor de fraudes evitadas chega a R$ 66,3 milhões

Além disso, a ClearSale, empresa antifraude, divulgou dados bastante positivos em relação às fraudes na Black Friday. De acordo com projeções da entidade, o valor de fraudes evitadas até 23h da sexta-feira chegou a R$ 66,3 milhões.

Na quinta data mais importante para o varejo brasileiro, o uso do cartão de crédito se manteve como a principal forma de pagamento dos consumidores. Por sua vez, o boleto bancário como forma de pagamento teve forte queda de 4,0 pontos percentuais neste ano.

Em contrapartida, tanto o PIX quanto as carteiras digitais tiveram avanço. No caso do PIX, a perfomance ficou abaixo do esperado, segundo Paulina. Ela explicou que esse cenário deve ter acontecido devido à data da Black Friday no final do mês. Em suma, o consumidor tende a usar o PIX para compras à vista, e a data não favoreceu essa forma de pagamento.

Leia Mais: Confiança do comércio despenca em novembro, aponta FGV

Avalie o Artigo:

Sucesso na Internet:

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.