Faturamento bruto das empresas industriais atinge R$ 4,8 trilhões em 2019

Pesquisa do IBGE também reporta crescimento da receita líquida; valor da transformação industrial chegou a R$ 1,4 trilhão no ano

0

O faturamento bruto da indústria brasileira em 2019 atingiu a impressionante marca de R$ 4,8 trilhões. A saber, 82,5% desse valor correspondeu à venda de produtos e serviços industriais. Nesse caso, o percentual de participação cresceu nos últimos anos, visto que respondia por 80,5% do faturamento em 2010.

Completando o valor total, estão a receita das atividades não industriais, que cresceu de 7,1% em 2010 para 8,3% em 2019, e as demais receitas (aluguéis, juros de operações financeiras etc.). No entanto, nesse caso, a participação recuou de 12,4% para 9,2% no período.

Além disso, a receita líquida de vendas atingiu R$ 3,6 trilhões em 2019. Desse montante, 67,4% se concentravam nas empresas que possuíam 500 ou mais pessoas ocupadas. Aliás, vale destacar que a receita líquida das empresas que tinham até 19 pessoas ocupadas cresceu de 5,0% para 5,8% entre 2010 e 2019.

Os dados fazem parte da Pesquisa Industrial Anual (PIA) Empresa 2019 do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). A propósito, o órgão divulgou as informações nesta quarta-feira (21) e mostrou que o setor industrial do país perdeu 28,6 mil empresas e mais de 1,4 milhão de postos de trabalho de dezembro 2013 a dezembro de 2019.

Veja mais detalhes do desempenho industrial em 2019

De acordo com o IBGE, a indústria brasileira conseguiu gerar R$ 1,4 trilhão de valor da transformação industrial (VTI). Em resumo, esse valor é alcançado através da subtração do valor bruto da produção (R$ 3,3 trilhões) pelos custos das operações industriais (R$ 1,9 trilhão). A propósito, as indústrias de transformação responderam por 90,1% desse valor, o que corresponde a R$ 1,3 trilhão.

Ainda segundo a PIA Empresa 2019, as unidades locais das indústrias extrativas registravam um aumento da sua participação no VTI, subindo de 11,7% em 2010 para 15,2% em 2019. Em contrapartida, as unidades locais das indústrias de transformação perderam 3,5 pontos percentuais (p.p.) no período. Contudo, ainda concentravam expressivos 84,8% do VTI em 2019.

Por fim, o IBGE afirma que a extração de petróleo e gás natural fez a parcela das indústrias extrativas avançar 3,4 p.p., registrando 7,2% do VTI da indústria em 2019. Já a fabricação de produtos alimentícios segue como a principal atividade das indústrias de transformação. A saber, esta atividade concentrou 15,2% do VTI em 2019 ao ganhar 1,3 p.p.

Leia Mais: Todos os 30 setores da indústria continuam confiantes em julho, diz CNI

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.