Ex-patrão joga ácido em rosto de mulher após discussão

Franciele foi demitida e voltou à casa do ex-patrão após ele ter ligado para ela e ameaçado seu filho, um garoto de 11 anos

0

Uma confusão registrada em Catanduva, no interior de São Paulo, terminou com um idoso, identificado como Luis, de 70 anos, jogando ácido em uma ex-funcionária pouco tempo após demiti-la. Apesar de ter viralizado nesta quarta-feira (21), o fato aconteceu na segunda (19), em frente à casa do suspeito.

Conforme aponta um boletim de ocorrência feito pelo marido de Franciele Priscila Correa, de 31 anos, ela é faxineira e trabalhava na casa do suspeito havia mais de três anos.

Ainda conforme o documento, o idoso é fabricante e vendedor de produtos de limpeza. Em dado momento, a mulher derrubou, acidentalmente, um dos materiais fabricado por ele e, com isso, uma discussão foi instaurada, o que acabou resultando na demissão da moça.

Horas depois, agora por telefone, após Franciele ter voltado para sua casa, o idoso ligou para ela e ameaçou seu filho, um garoto de 11 anos. Por conta das ameaças, a mulher voltou para a casa do ex-patrão, que acabou arremessando a substância ácida que estava em um frasco após eles discutirem.

mulher
Franciele foi demitida e voltou à casa do ex-patrão após ele ter ligado para ela e ameaçado seu filho, um garoto de 11 anos. (Foto: reprodução)

Mulher corre risco de ficar cega

De acordo com as informações, a mulher foi socorrida e encaminhada ao Hospital Padre Albino. E, apesar de já ter tido alta médica, ainda pode ter complicações por conta do fato.

Isso porque, de acordo com o marido da moça ela, que fez raspagem e limpeza na região dos olhos, e agora se recupera em casa, pode ficar cega de um olho.

“Ela ainda está em estado de choque. Ela corre o risco de ficar cega de um olho”, afirmou o marido da mulher, em entrevista ao jornal “SBT Interior”, na manhã desta quarta-feira (21).

Agora, o caso será investigado pela Delegacia da Mulher de Catanduva. Conforme apontou a Polícia Civil, o caso foi registrado como lesão corporal e ameaça e será investigado pela corporação. O idoso ainda não foi encontrado.

Leia também: MP quer que prefeitura de SP explique mortes por frio

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.