Escolhas alimentares de moscas e humanos são bem parecidas

Estudo da Universidade de Yale, nos Estados Unidos, revela que estes insetos passam a maior parte do tempo procurando calorias nutritivas e doces

0
Unsplash

Sem dúvidas, se perguntarem a você o que o ser humano e a mosca têm em comum, certamente irá confirmar que nada, porém, saiba que as escolhas alimentares são um fator em comum.

Foi o que revelou um estudo da Universidade Yale dos Estados Unidos da América (EUA), pois segundo os pesquisadores, as moscas passam a maior parte do tempo procurando calorias nutritivas e doces, e evitando alimentos amargos e potencialmente tóxicos.

Ainda de acordo com o estudo, a atividade neural tanto no cérebro de uma mosca quanto no cérebro humano é regulada pela secreção de neuropeptídeos e do neurotransmissor dopamina, que ajuda a regular as sensações de recompensa.

Apesar de muita gente achar que nossas escolhas alimentares são feitas conscientemente, os especialistas afirmam, que na verdade elas são apenas estímulos neuroquímicos. Por isso é que a sensação da fome, assim como outros estados emocionais podem influenciar o comportamento do indivíduo durante a alimentação.

Saúde mental X alimentação

Assim com o sono pode interferir na qualidade da alimentação e vice-versa, o estado emocional também age diretamente nas escolhas alimentares.

Esta interferência pode ser ainda maior em mulheres, segundo uma pesquisa da Universidade de Binghamton (Estados Unidos).

Nesta pesquisa, de acordo como os padrões alimentares não saudáveis, o nível de sofrimento mental era considerado maior nas mulheres, confirmando que pessoas do sexo feminino são mais suscetíveis à alimentação não saudável que os homens.

Dentre os hábitos alimentares considerados negativos para a saúde da mulher, os pesquisadores destacaram os seguintes:

  • Consumir fast food
  • Pular o café da manhã
  • Ingerir cafeína
  • Ingerir em excesso alimentos ricos em açúcar
  • Fazer intervalos muito longos entre as refeições

Reconhecendo esta fragilidade nutricional, é possível desenvolver planos alimentares focados na saúde e bem estar mental das mulheres.

Alimentos aliados da saúde mental

Não basta apenas evitar determinados maus hábitos alimentares, como os mencionados acima, é preciso focar em uma alimentação estratégica focada no bem estar mental.

Para isso, incluir na dieta do dia a dia, frutas e vegetais verde-escuros pode fazer toda diferença, como:

  • Couve
  • Brócolis
  • Melancia
  • Mamão
  • Tangerina
  • Abacate
  • Limão
  • Mel
  • Oleaginosas
  • Carnes magras
  • Peixes

Além disso, é preciso associar outras práticas para equilibrar o estado emocional, com a inclusão de atividades físicas e outras ações prazerosas, como leitura e meditação.

Ademais buscar ajuda profissional de uma nutricionista, a fim de elaborar um cardápio baseado neste objetivo, também pode ser extremamente útil.

Veja também: Mulheres X Doces: Hormônios são responsáveis por esta vontade mais acentuada

 

 

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.